publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 15 Novembro , 2016, 07:20

 

 

_DSC3087.JPG

 

Há muito que Vila Cova não vibrava com tanto entusiasmo, como o que manifestou, domingo passado, na visita do Senhor Dom Virgílio Antunes. A população esteve em peso na Praça, na receção ao Senhor Bispo, como depois na Missa, em que participou com a maior devoção.  

No cortejo, que acompanhou D. Virgílio desde a Praça até à Matriz, incorporaram-se a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Vila Cova de Alva, a Irmandade de Vinhó, uma representação da Capela de S. João e a Filarmónica Flor do Alva, que interpretou de números do seu repertório.

À entada da Igreja a pequena Lara recebeu o Senhor Bispo, a quem entregou um ramo de flores e leu a seguinte mensagem:

“Eu, por ser ainda pequena, fui escolhida para, em nome do Povo de Vila Cova, oferecer estas flores ao Sr. Bispo.

Disse-me um adulto que, neste gesto, estão simbolizados o Belo e o Bem.

E disse-me mais o adulto: O Belo está nas flores e o Bem está em todas as crianças que somos no nosso ainda estado de graça.

Quem me dera, quando for grande, sentir muito o aroma das flores e continuar a ser criança.

Obrigada Sr. Bispo por nos ter visitado.

Venha sempre. O Povo de Vila Cova gosta muito de si.”

Seguiu-se a Missa, celebrada pelo Sr. Dom Virgílio, com a nave da Matriz repleta de fiéis. Na homilia, Dom Virgílio, aludindo ao momento atual vivido pela humanidade, realçou a importância dos fiéis de todo o Mundo na defesa de valores cristãos, baluartes contra as ameaças às liberdade e injustiças em muitos países de todos os continentes.

Depois da Missa o Senhor Bispo esteve na Sede da União de Freguesias onde foi recebido por os Presidente da Autarquia, Sr. António Tavares e Presidente da Assembleia, Dr. João Figueira.

Após a cerimónia de boas vindas na Sede da União Freguesias de Vila Cova e Anseriz, o Sr. Dom Virgílio dirigiu-se à Instalações do Centro de Dia, tendo sido recebido pelos Presidente da Mesa da Assembleia Geral, Dr. Oliveira Alves, Provedor, Dr. Nuno Espinal e Vice Provedora, Dra. Margarida Figueiredo.

Dom Virgílio almoçou então nas instalações da Santa Casa, na companhia ainda de utentes, demais dirigentes da Instituição Santa Casa, dirigentes institucionais da União de Freguesias e membros da organização da Visita Pastoral.

Terminado o almoço, usou da palavra o Dr.  Oliveira Alves que começou por dizer:

“Estou convicto de que nem nos mais belos sonhos algum de nós sonhou ter connosco, à nossa mesa, o Bispo da Diocese de Coimbra, o nosso Bispo”.

E prosseguindo o seu discurso, veio ainda a referir, dirigindo-se a Dom Virgílio:

“A visita de V. Exª, mais do que um ato, diria, oficial, no âmbito da visita pastoral que entendeu dever fazer ao nosso concelho é um aconchego especial que guardaremos em bom recato nos nossos corações”.

Salientou, então, tecendo considerações sobre Vila Cova, a aspetos da sua interioridade, à emigração, à sangria demográfica ocorrida e ao envelhecimento da população.

Este último aspeto suscitou-lhe a seguinte observação:

“Quando a evolução demográfica apontava já para um aumento da população idosa, com todas as consequências daí decorrentes, foi a Igreja a primeira Organização a despertar e a chamar a atenção dos poderes públicos para os problemas de índole social que aí vinham e para os direitos sociais.”

O impulso à Ação Assistencialista e às Santas Casas de Misericórdia protagonizado pela Igreja, foi registado por Oliveira Alves, tendo ainda aludido ao papel de apoio aos idosos por parte da Santa Casa de Misericórdia de Vila Cova, nomeadamente pelo trabalho dedicado e exemplar das suas trabalhadoras e pelo papel de mérito desempenhado pelos seus dirigentes, com uma palavra especial para o Provedor, Nuno Espinal “zelando para que nada falte e, mais do que isso, para que a instituição observe todo o complexo de legislação a que está obrigada. A ele ficará a dever-se a ampliação destas instalações, o que propiciará maior comodidade e bem-estar aos utentes, em boa medida graças a um apoio que obteve da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa”.

Já quase no fim do seu discurso, Oliveira Alves teceu ainda elogios à pessoa do Padre Rodolfo Leite, realçando a “sua capacidade mobilizadora, a sua força persuasiva, a sua energia e dinamismo. Foi uma bênção”.

Após o discurso de Oliveira Alves, o Sr. Bispo tomou então da palavra, agradecendo todo o apoio e simpatia do Povo de Vila Cova, e manifestou a convicção de que virá mais vezes à nossa terra. Exortou dirigentes e trabalhadoras da Santa Casa, em comunhão de esforços, a prosseguirem o seu importante e difícil papel nos cuidados tão imprescindíveis aos utentes.

Muito aplaudido, o Sr. Dom Virgílio Antunes, despediu-se então de todos, partindo em direção aos Cepos, onde cumpriria outros compromissos da sua Visita Pastoral.

No momento da despedida, ressoaram ainda para muitos estas palavras ditas por Oliveira Alves no seu discurso:

O passado é história

O futuro é mistério

O hoje é uma dádiva

Por isso, se chama de presente.

Tê-lo aqui hoje, Senhor D. Virgílio, foi para nós um maravilhoso “Presente”

 

Manuel Fernandes

 

_DSC3096.JPG

 

_DSC3124.JPG

 

 

_DSC3120.JPG

 

_DSC3132.JPG

 

_DSC3270.JPG

 

_DSC3271.JPG

 

_DSC3280.JPG

 

_DSC3304.JPG

 

 

 

 


comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Novembro 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

14
17
19

20
22
23
25
26

27


pesquisar neste blog