publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 13 Dezembro , 2010, 08:40

De pé: Vitor Travassos, António, Wilson, Gonçalo Sergio, António Cruz (cap) e Rui Mota

1º plano: Pedro,Sérgio, Bruno, Fábio Leitão e Paulo Sergio.

 

 

Vilacovense 3  St. António do Alva 1

 

O poder mais atlético dos jogadores do Vilacovense ditou regras perante o jogo mais macio do S. António de Alva. E foi esta a principal diferença que explicou o resultado do jogo. Um jogo correcto, bem jogado, com movimentações interessantes de qualquer das equipas, acabando, no computo final, o resultado por ser justo, já que o Vilacovense dispôs de mais oportunidades e demonstrou superior capacidade no entrosamento entre os vários sectores da equipa.    

Arbitragem sem problemas.

 

Jogaram ainda, pelo Vilacovense: Diogo Godinho, que substituiu Paulo Sérgio, por lesão, aos 20 minutos, Ivo Antunes que substituiu Pedro aos 60 min., Nelson Amaral que substituiu Sérgio aos 65 min., e Paulo que substituiu Fábio aos 70 min.

 

Treinador: Carlos Gomes. Dirigente delegado ao jogo: José Santos. Massagista: Fernando Figueiredo. Suplente não utilizado: Bruno Santos.

 

O Vilacovense receberá no seu campo, dia 9 de Janeiro, a equipa de Vila de Mato.

 

 

Nuno Espinal/Fábio Leitão


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 30 Novembro , 2010, 08:48

 

Agora, já é tempo de ter passado a surpresa. Agora, já é tempo, isso sim, da certeza. A certeza de que o Vilacovense tem de facto uma grande equipa. O último jogo, disputado contra o Vasco da Gama de Seixo da Beira, confirmou um Vilacovense estruturado, seguro e confiante, com uma boa articulação entre a defesa, meio campo e ataque. O jogo foi de domínio permanente da equipa de Vila Cova que poderia, até, ter conseguido um resultado mais dilatado, perante as oportunidades de golo criadas. Um bom jogo, com resposta aguerrida por parte da equipa de Seixo da Beira.

 

Constituição da equipa:

 

Guarda Redes:  Vitor Travassos

Defesas: Fábio Leitão (Sérgio aos 60 minutos), António Cruz (cap), Bruno Lopes, Wilson e kikas;

Médios: Tiago Fernandes, Paulo Sérgio e Pedro (Daniel Nunes aos 50 minutos);

Avançado: Rui Mota (Ivo aos 73 minutos)e Diogo Godinho (João Antunes aos 73 minutos);

 

Suplentes não utilizados: Bruno Santos ; Nelson Amaral e Paulo

 

Os golos foram apontados por Rui Mota  (1) e Tiago Fernandes (2).

 

Treinador: Carlos Gomes

Massagista: Fernando Figueiredo

Delegado: José Santos

 

No próximo Domingo o Vilacovense desloca-se a Bobadela, para defrontar a equipa local às 15 horas.

 

 

Nuno Espinal/Fábio Leitão

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 08 Novembro , 2010, 09:22

 

No final da primeira parte, a perder por um golo, poucos seriam os que vaticinavam, perante uma pálida exibição, que o Vilacovense poderia dar a volta ao resultado. Mas foi o que veio a suceder. E isto porque a equipa, mercê de uma superior condição física, subiu de rendimento perante um adversário a quem faltaram argumentos para estancar as incursões atacantes da equipa da casa que, no segundo tempo, surgiu transfigurada e, em largos momentos, realizou mesmo uma boa exibição.

Este Vilacovense acaba por surpreender. Considerada uma equipa com poucos recursos, dada a sua confirmação à última da hora nas instâncias do Inatel, tem-se revelado um conjunto homogéneo, bastante lutador e com crença.

Quando não ganhar, situação previsível para qualquer uma equipa ao longo do campeonato, não será por falta de entrega e empenho dos seus jogadores.

 

Nuno Espinal

 

(Ficha técnica em próxima edição)    

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 25 Outubro , 2010, 09:14

O Vilacovense tornou a perder, é um facto, mas mostrou já uma outra imagem, face a uma exibição bem mais conseguida e perante uma formação adversária, ela própria, também a subir de rendimento relativamente ao jogo do Domingo anterior, o que só reforçou a nova performance demonstrada pelo conjunto de Vila Cova.

Um jogo muito agradável de seguir, em que a vitória do Lourosa uma vez mais não sofre contestação, ainda que o Vilacovense ficasse a dever, por menor pontaria em momentos cruciais, um ou outro golo, perante oportunidades flagrantes não aproveitadas.

A equipa já mostrou uma outra estrutura, com os três sectores de campo muito mais interligados e a demonstrarem um outro rendimento, o que veio a acalentar, nos muitos adeptos que se deslocaram a Lourosa, perspectivas de um campeonato longe dos pessimismos inicialmente ideados.  

Um facto a salientar: os jogadores empenham-se, suam a camisola. E, quando assim é, o aplauso está sempre garantido.  

 

Nuno Espinal

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 18 Outubro , 2010, 09:29

Muitos foram os adeptos que se deslocaram ao campo João Rafael Abranches de Figueiredo a fim de avaliarem o novo “Vilacovense”, recentemente forjado em condições um tanto atribuladas. Do adversário, a equipa de Lourosa, dizia-se que se tinha adquirido bons reforços e que, esta época, seria uma séria candidata a lugares de topo.  

Mas o jogo acabou por revelar do Vilacovense algo que já era esperado e do Lourosa nada que tivesse contribuído para as expectativas criadas. É evidente que estamos ainda na fase de preparação e que há espaço que pode permitir uma evolução, que obviamente se espera das duas equipas. Mas há dados que desde já se mostram como incontornáveis e é admissível que o Vilacovense não atinja o s índices das últimas épocas.

Desde já um ponto número um: Antes pouco do que nada. E haver uma equipa com o emblema de Vila Cova a disputar o “Inatel 2010/2011” é desde já uma grande vitória. E só por isso saúdem-se dirigentes, treinador e jogadores. Claro que todos nós gostamos de ganhar. E os adeptos do Vilacovense habituaram-se nos últimos anos às vitórias e ao gosto de apoiarem uma equipa de alto gabarito, a conquistar lugares classificativos cimeiros. Mas o ciclo de resultados quase sempre vitoriosos é provável que possa fazer uma pausa.

A actual equipa conta com jogadores novos, por isso com menos entrosamento, ao contrário do Vilacovense das últimas épocas, formado por jogadores que se conheciam, experientes e de possantes índices atléticos.

O resultado do jogo de ontem espelha o que se passou em campo. O Vilacovense a deixar isolar adversários, que em velocidade transpunham o seu quarteto defensivo, o meio campo pouco produtivo e a não fazer a transposição de bola para os atacantes.

Valeu a entrega de todos os jogadores e cabe aqui uma referência à presença em campo de dois dos “antigos” que serão pedras importantes neste novo Vilacovense: Cruz e Mota. Mas, há ainda que contar com Paulo Ribeiro, Kikas, Fábio Leitão, entre outros, jogadores estes que desde há muito sentem o emblema do Vilacovense.

Uma palavra para os adeptos. Há que apoiar o Vilacovense. Em princípio de ciclo, aos poucos o Vilacovense tornará à senda das vitórias. Agora é tempo de acarinhar a equipa que temos. Em cada jogo pede-se acima de tudo espírito de luta, entrega e desportivismo dos jogadores. E dos adeptos o aplauso, ganhe-se ou perca-se. E sempre que houver vitória, tanto melhor…   

 

Nuno Espinal


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 11 Outubro , 2010, 18:44

O Vilacovense 2010/2011, com uma equipa apetrechada de novos jogadores e novo treinador (Carlos Gomes) vai estrear-se no próximo Domingo, em jogo amigável contra o Lourosa. Apesar da muita gente nova, não é de estranhar que a espinha dorsal deste novo Vilacovense ainda seja formado por jogadores que transitam de épocas anteriores, face às suas maiores experiências e mais valias.

 

Vamos pois observar a equipa com grande expectativa, ainda que se peça aos adeptos muita condescendência, face a todas as atribulações que envolveram o Vilacovense neste último período de defeso.

 

O jogo será disputado no campo do Vilacovense, a partir das 16 horas.


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 19 Julho , 2010, 08:09

Com a presença do Presidente da Câmara, da Presidente da Junta e representantes das Santa Casa e Filarmónica, efectuou-se ontem, Domingo, o habitual almoço/convívio que anualmente o Grupo Desportivo Vilacovense organiza e que reuniu cerca de cem pessoas, entre dirigentes da Instituição, jogadores da equipa de futebol e adeptos. 

O almoço foi pretexto para serem oferecidas lembranças aos atletas e técnicos, merecedores dos maiores elogios pela excelente época realizada a qual culminou com a presença na final do Distrital de Coimbra do Inatel , feito inédito no historial do clube, obviamente motivo de grande orgulho dos vilacovenses.

Isso mesmo foi salientado pelo Presidente do Grupo Desportivo Vilacovense, Sr. Carlos Antunes que, na sua muito aplaudida intervenção, agradeceu os apoios que o clube recebeu, nomeadamente da Câmara, Junta de Freguesia, “Miradouro” e adeptos.

O Sr. Carlos Antunes fez questão ainda de agradecer a colaboração do Sr. António Paiva, ao qual, em nome do clube, ofereceu também uma simbólica lembrança.

Um destaque ainda para a apresentação de uma bandeira representativa da Instituição e que, na circunstância, foi descerrada, por iniciativa do próprio Presidente do Vilacovense, pelo Sr. Carlos Paiva, acto que mereceu os maiores aplausos de toda a assistência.

 

Nuno Espinal


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 12 Julho , 2010, 18:15
Dirigentes, equipa técnica e jogadores merecem o aplauso e a consideração dos vilacovenses. De facto, a equipa de futebol do Grupo Desportivo do Vilacovense fez uma época extraordinária, atigindo a final distrital do Inatel e poderia bem ter-se sagrado campeã não fosse a péssima arbritagem que lhe roubou o título. 
O almoço-convívio marcado para Domingo, dia 18, nas instalações da Casa do Povo, será, por certo, o momento adequado ao reconhecimento desta época gloriosa e o incentivo à preparação do futuro, que reclama o apoio e unidade de todos os vilacovenses     

publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 03 Maio , 2010, 09:26

 

Carlos Antunes, Presidente da Direcção do Vilacovense, era, no final do jogo em que o Vilacovense saiu derrotado por um a zero, a imagem da desolação. “Assim custa perder…”, repetia inconformado. E quem ao jogo tivesse assistido compreendia-lhe perfeitamente o estado de ânimo. De facto, o Vilacovense perdia contra um adversário que, durante todo o jogo, não tinha demonstrado argumentos que justificassem a vitória. Bem pelo contrário, tinha sido o Vilacovense que, nos oitenta minutos, melhor futebol exibira, em especial devido a uma capacidade técnica mais evoluída dos seus jogadores de meio campo, que se contabilizaria em mais posse de bola, superior capacidade no desenvolvimento de jogadas e melhores oportunidades de golo.

Assim custa perder…”, repetiria Carlos Antunes. Mas este sentimento era geral, afectando adeptos e, em especial os jogadores do Vilacovense.

Um deles chegava mesmo a confidenciar-me: Fosse a derrota com o Brasfemes teria custado, mas era mais aceite. O Brasfemes tem uma boa equipa. Com o Paradela fica-nos um grande amargo de boca. Sentimos que somos melhores…”

Pois é, mas o futebol é isto mesmo. Nem sempre a lógica se afirma no desfecho. Por vezes a sorte é o que se sabe e quantas vezes nega a vitória a quem a merece. A sorte e, no caso deste jogo, a equipa de arbitragem, em especial o bandeirinha do lado da bancada.  

Dois lances são capitais para o resultado ter sido falseado:

1º: O golo do Paradela é precedido de falta de um jogador daquela equipa, quando empurrou, com toda a evidência, o jogador Marcos Oliveira. Toda a gente viu a falta. Não a quis ver o fiscal de linha, não a quis ver o árbitro, não a sancionou o árbitro. E, decorriam os últimos segundos da primeira parte, o golo foi validado.

2º: Já nos últimos minutos da segunda parte, mão na bola de um jogador do Paradela corta uma jogada do Vilacovense, mesmo à entrada da grande área. Toda a gente viu a falta. Não a quis ver o fiscal de linha, não a quis ver o árbitro, não a sancionou o árbitro. A grande penalidade não foi marcada.

Mas, enfim, o resultado do jogo foi o que foi, por circunstâncias alheias à verdade desportiva. Chega assim ao fim a época oficial desta equipa do Vilacovense. Grande época, grande equipa, grandes jogadores. Parabéns a todos eles. Parabéns ainda ao seu treinador, Wilson, aos dirigentes, especialmente ao seu Presidente e todos os restantes colaboradores.

Parabéns ainda aos adeptos, que contavam, entre eles, com a presença do Presidente da Câmara, Eng. Pereira Alves. Ontem foram uma vez mais inexcedíveis, em especial o sector feminino, nunca regateando um forte apoio, incentivando a equipa até ao último segundo. Todos sem excepção, jogadores, “staf” técnico, dirigentes e adeptos ajudaram a construir um “Vilacovense” que, nesta época 2009/2010, foi o melhor de sempre.

 

Nuno Espinal

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 01 Maio , 2010, 14:43

Uma Imagem que gostaríamos de ver repetida

 

 

“Vai ser difícil, mas não é impossível. Afinal, a bola não é redonda?...”

Esta frase, tão banal e tão típica do futebolês lusitano, ouvi-a ainda hoje a um vilacovense e encerra um prognóstico, entre todos, o único infalível. Mas, ainda que nadaarrojada, é porventura a previsão mais aceitável, considerando o que nos vai chegando de informações sobre o Paradela. Uma equipa mais jovem que a do Vilacovense, em termo de média de idades dos jogadores, com melhor preparação física e em crescendo exibitivo jogo a jogo.  

Mas, já com o Brasfemes contavam-se cobras e lagartos da sua superioridade e o saldo final foi bem outro.  

Por isso, nada melhor que aguardar, sem cair em derrotismos precoces, mas tendo sempre em fito expectativas realistas.

 É, porventura, com este espírito que partirão de Vila Cova, amanhã, às treze e trinta rumo a Taveiro, os cerca de cinquenta adeptos que lotarão um autocarro, ao que nos foi informado, cedido pela Câmara.

Queremos ganhar, é bem verdade. Mas, estar na final é já uma grande vitória. E só por isso vale a pena festejar, no “Sérgio Conceição”, em Taveiro, o nosso Vilacovense.    

 

Nuno Espinal


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Setembro 2019
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
14

15
17
18
19
21

22
24
25
26
27
28

29
30


pesquisar neste blog