publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 23 Junho , 2014, 21:09

A propósito de um breve texto que apresentámos sobre “medos antigos”, Silvino Lopes enviou-nos, para publicação, este poema:

 

 

Rasteja nas escadas

Avança para mim

Por todas as entradas

 

Penetra-me na pele

Percorre as minhas veias

Agarra-me nos braços

Amarra-me as ideias

 

Envolve as minhas pernas

Destrói os movimentos

Traz dúvidas eternas

Desfaz os pensamentos

 

Aperta devagar

Abraça a solidão

Assusta até matar

Engole o coração

 

Viola a minha alma

Desfruta do meu ser

Trespassa a minha calma

Obriga-me a sofrer

 

Comanda-me a vontade

Domina-me em segredo

Confunde-me a verdade

E ri-se do meu medo

 

E o vento que fustiga

Encolhe-me na cama

E o peso da fadiga

É uma voz que chama

 

Depois da tempestade

É súbita a bonança

Apenas a saudade

De um quarto de criança.

 

Silvino Lopes


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Junho 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
14

17
20

25
27

29


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds