publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 23 Junho , 2014, 21:09

A propósito de um breve texto que apresentámos sobre “medos antigos”, Silvino Lopes enviou-nos, para publicação, este poema:

 

 

Rasteja nas escadas

Avança para mim

Por todas as entradas

 

Penetra-me na pele

Percorre as minhas veias

Agarra-me nos braços

Amarra-me as ideias

 

Envolve as minhas pernas

Destrói os movimentos

Traz dúvidas eternas

Desfaz os pensamentos

 

Aperta devagar

Abraça a solidão

Assusta até matar

Engole o coração

 

Viola a minha alma

Desfruta do meu ser

Trespassa a minha calma

Obriga-me a sofrer

 

Comanda-me a vontade

Domina-me em segredo

Confunde-me a verdade

E ri-se do meu medo

 

E o vento que fustiga

Encolhe-me na cama

E o peso da fadiga

É uma voz que chama

 

Depois da tempestade

É súbita a bonança

Apenas a saudade

De um quarto de criança.

 

Silvino Lopes


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Junho 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
14

17
20

25
27

29


pesquisar neste blog