publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 29 Agosto , 2014, 15:14

 

 

Em defesa dos direitos de autor, ainda que de total ineficácia quanto a proventos materiais, aqui vai uma referência, mais que justa.

Mas, passemos, sem delongas, à narrativa que sustenta esta prosa.

Já lá vão uns cinco ou mais anos, ainda o troço da estrada que se inicia em Vila Cova em direção a Coja, não tinha iluminação, os passeios de verão que se faziam até ao sítio das alminhas, ou entroncamento da portela, eram feitos em total escuridão, salvo nas noites em que a lua era pródiga em dádivas luminárias.

Ir ao sítio das alminhas mereceria, então, por razões óbvias, de uma petiza, de ainda menos de seis anos, uma curiosa expressão: “ir ao escuro”.

A nossa petiza é a Leonor Leal. A graça desta denominação ficou para sempre, foi por todos adotada, ainda que alguns desconheçam a origem. E ainda que hoje aquele sítio já tenha iluminação em fartura, nenhum de nós se refere ao local que não o denomine de “escuro”.

E vai ser assim para sempre, presumo. Parabéns pois Leonor. Um beijinho de todos nós.

 

Nuno Espinal

 


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



comentários recentes
Tio Zé Torda, descanse em paz e que Deus o ponh...
Caro Dr. NunoFoi sem dúvida uma tarde e uma noite...
Sinceros sentimentos pelo falecimento do Tó Man...
Não foi de Covid
DISTÂNCIA/SEPARATISMO DOS PARASITAS-HORRORIZADOS c...
Foi de Covid-19?
Caro Sr. Avelar: obrigado pelo seu comentário. Apr...
As nossas condolências para a família toda.Frenk e...
" Ser Poeta ė ser mais alto...(Florbela Espanca)Qu...
Caro Nuno: Gostei muito. Aliás não esperava outra ...
Agosto 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
13

17
19
20
22

25

31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds