publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 05 Outubro , 2017, 00:18

22197597_1430096627085547_941954691_o-001.jpg

 

Rasgos no tempo o peito das minhas memórias. Grito no vento vida e estórias. São rasgos rasgados, onde o Tempo rasga o Tempo e eu me Rasgo no Tempo. São Rasgos no Tempo e sem nós que me guardam de tantos revés onde grito o silêncio e o tempo sem voz. Rasgo o tempo que me enlouquece a cada momento em que o horizonte desvanece. São Tempos guardados. São Tempos de Rasgos no Tempo. Abro as mãos, abraço o momento, escuto o vento. São rasgos no tempo que me devoram, guardam, demoram, e abraçam o pensamento. O Tempo é infinito e tão finito que me deixa louco de tanto querer encontrar Tempo no Tempo. É no isolamento do Tempo que o Tempo rasga e bebe o meu corpo. A liberdade e a vida que Rasgo no Tempo a cada rasgo no peito. E porque se trata de uma busca permanente tão minha, deixo o silêncio e o tempo me invada para perceber o Tempo que me faz sentir no Tempo. São rasgos no Tempo em mim, de um silêncio em silêncio Rasgado no Tempo sem fim….

 


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




comentários recentes
Boa tarde. Qual é o valor em ml de 2/5 de azeite?
Muito bem! Gostei. Contudo falta referir muitos pe...
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Outubro 2017
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
18
21

25
27
28

30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds