publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 29 Dezembro , 2015, 01:49

IMG_0612 (1).JPG

 

Aos poucos, as placas toponímicas cobrirão todas as vias públicas de Vila Cova e as casas estarão todas numeradas. Os grandes beneficiados serão os carteiros que ficarão dispensados do ciclópico trabalho de decorar os nomes dos residentes da vila e associá-los, sem qualquer referência a nomes de ruas, aos respetivos locais onde habitam.

Curioso é que o nome administrativo de algumas ruas não seja reconhecido pela população. E, assim, o povo mantém nomes antigos, caso, entre outros, da Rua Direita, do Largo do Adro, da Rua do Outeiro e da Rua do Vale da Fonte. Esta, por exemplo, passou a chamar-se Rua da Casa do Povo, o que parece de todo ilógico.

Mas, a verdade é que em Assembleia de Freguesia os nomes foram propostos e votados. A questão é que a populaça, nestas coisas, desliga-se do poder autárquico e administrativo, impõe a sua vontade e nada há fazer. Como diz a velha palavra de ordem “o povo é quem mais ordena” e pronto!

De resto, esta determinação popular é global, mesmo nos aglomerados populacionais de grande dimensão. Veja-se o caso do Largo D. Pedro IV em Lisboa, que é para todos o “Rossio”, ou da nova Ponte de Coimbra que a edilidade posteriormente decidiu chamar de Ponte Rainha Santa Isabel, mas que muitos conimbricenses teimam em chamá-la pelo nome inicialmente escolhido, ou seja “Ponte Europa”.

E, já agora, retornando a Lisboa: Terreiro do Paço ou Praça do Comércio? Ora, sumariando registos históricos, eis a explicação:

No século XVI, o nosso rei D. Manuel transferiu a sua residência real para o palácio existente na zona a qual veio, por isso mesmo, a chamar-se “Terreiro do Paço”. Mais tarde, destruído o Palácio Real pelo terramoto de 1755, o Terreiro do Paço tornou-se no elemento fundamental do plano de ordenamento urbano do Marquês de Pombal, reconstruindo o local em privilégio da classe comercial, financeira e burguesa da cidade e, por essa razão, atribuindo-lhe o nome de “Praça do Comércio”.

Ora, passados mais de dois séculos e meio, muitos são os lisboetas que, insistentemente, continuam a chamar, à bela Praça de Lisboa, “Terreiro do Paço”.

Repito, nada a fazer. Nestas coisas da toponímia a vontade do povo parce ser soberana.

 

Nuno Espinal


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Dezembro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

14
18

21
23
25

27
28


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds