publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 31 Outubro , 2016, 10:14

14690844_1324659247568285_89467011280469693_n.jpg

 

“No melhor pano cai a nódoa” diz o ditado…e é bem verdade! Na maravilhosa zona da Beira Interior, Serra do Açor, numa bela e pacata aldeia do Município de Arganil, Freguesia de Vila Cova do Alva, que dá pelo nome de Vinhó e que eu considerava um paraíso divino, um homem mata à sachada (!!!!) uma jovem gatinha pelo hediondo crime de lhe ter entrado em casa!! Foi visto a arrastar a gata ainda agonizante e ensanguentada pela escada abaixo em direção ao seu quintal, não sabendo eu que mais horrores terá sofrido a doce Florzinha…se terá sido enterrada ainda viva, ou terá sido fechada num saco plástico e atirada para um qualquer contentor ou barranco…um verdadeiro horror difícil de acreditar em pleno séc. XXI!!

Mais, esse homem (e escrevo com letra minúscula, porque um Homem com H grande é incapaz de tamanha monstruosidade!), ainda me ameaçou esta quinta-feira passada (20-10-16) de manhã de que eu iria pagar por dar visibilidade ao assunto, e que “agora é que ia matá-los se lhe apetecesse!”

O crime terá ocorrido algures na semana de 10 a 15 de outubro, mas eu só agora consigo escrever sobre o assunto, tal foi o impacto devastador que esta revelação teve em mim. Aliás, entre o dia 3 e o dia 14, desapareceram 2 gatos desta colónia assilvestrada, o que me faz agora suspeitar, legitimamente, que o pobre e doce Luizinho terá tido o mesmo fim! Só de imaginar o sofrimento e o horror causado a estes seres doces e inocentes fico com um nó no estômago e dificilmente contenho as lágrimas…como é possível tanta maldade e ausência de compaixão no coração??!!!

O homem em questão é um idoso reformado…poderia já não estar bem da cabeça, dizem alguns, mas não é verdade! O homem que cometeu este crime (e talvez muitos outros, porque de 13 sobram apenas 4!) está no pleno uso das suas faculdades, uma vez que conduz diariamente de manhã e à tarde, e tem um discurso perfeitamente lúcido. Não é um filho da terra…e bem poderia voltar para a sua, deixando-nos livres da sua maldade e cinismo, e não causando mais problemas e vergonha à família da sua Mulher!

Atualmente os maus tratos a animais são considerados crimes e punidos por lei, mas a prática e aceitação de tais atos é ainda uma triste e lamentável realidade, sobretudo no Interior. Nestas aldeias a população é escassa e as pessoas têm relutância em apresentar queixa às autoridades e ferir suscetibilidades por questões de vizinhança e parentesco…e quem tem lá casa de família embora lá não viva (como eu e a minha família) tem medo de represálias exercidas sobre os seus bens…muito triste mesmo!! Mas eu não consigo virar a cara e deixar que gente sem carácter continue a causar tanto sofrimento a seres inocentes, bem como a quem os ama e tenta proteger!

Nesta zona não existem associações de proteção animal à semelhança do que acontece já em tantas regiões do País, como é o caso dos GATOS URBANOS em Coimbra que têm feito um trabalho exemplar com as colónias de gatos silvestres e assilvestrados. Por isso, e dentro das nossas possibilidades, eu e os meus familiares acarinhamos e tentamos dar algum apoio a uma colónia de gatinhos que nasceu num quintal ao lado do nosso, tendo depois migrado para os nossos próprios quintais onde lhe proporcionamos abrigos e garantimos alimentação. Alguns são muito meigos e estabelecem laços de grande afetuosidade connosco, outros não permitem que lhes toquemos, embora nos reconheçam e se aproximem, permanecendo por perto assim mesmo. No entanto, são gatos livres que deambulam pela aldeia à semelhança de tantos outros (até com coleiras) que visitam os nossos quintais.

Nada, mas nada (!), justifica tamanha barbaridade!!! Chegaram a ser 13 e agora, no final da semana que terminou, deixei lá apenas 4…e tenho o meu coração muito apertado…um nó na garganta e no estômago…com medo do que poderão estar a passar os “meus” queridos… No último ano os desaparecimentos têm sido uns atrás dos outros…e agora é legitimo pensar que este homem estará por detrás de muitos deles…mas haverá mais gente implicada…pelo menos no que às crias diz respeito, pois foram nascendo em quintais onde este homem dificilmente entraria… É urgente fazer alguma coisa, é urgente que as Autarquias se envolvam na sensibilização das populações em relação a estes assuntos, que se empenhem em arranjar soluções e estabelecer parcerias com veterinários, no sentido de controlar e apoiar as colónias de gatos e dar qualidade de vida a tantos e tantos cães que vivem uma vida inteira acorrentados…uivando em sofrimento noites e noites seguidas!

Por tudo isto, aqui faço um forte apelo a todos os que têm compaixão no coração, para que partilhem este texto com o maior número de pessoas e entidades possíveis!

Gratidão.

 

Gabriela Cunha


Margarida Rosa a 31 de Outubro de 2016 às 13:23
Devia ser apresentada queixa sim! Só assim, e partindo do principio que as autoridades competentes iriam fazer cumprir a lei, é que as pessoas começam (espero eu!) a respeitar todos os seres vivos. Ninguém é obrigado a gostar de animais, mas todos têm o dever e obrigação moral de respeita-los. Costumamos ir a Vila Cova do Alva passar fins de semana e ferias e aquando la chegamos alegra-me ver os gatos e cães de vizinhos irem ter connosco e lá ficam até itmos embora. Esse acéfalo devia ser devidamente punido.

Joaquim Eduardo Espiñal a 2 de Novembro de 2016 às 00:38
Quem assim age contra os animais não merece qualquer tratamento. Só uma pessoa frustrada, amarga e execrável tem o comportamento que aqui é relatado. Como é possível, em pleno século XXI, existirem comportamentos desta índole? As autoridades têm a obrigação de agir em conformidade com a Lei. Mas a sociedade civil também tem a obrigação de repudiar situações como esta votando ao desprezo que pratica estas atrocidades. Esta leitora do Miradouro merece todo o nosso respeito por ter tido a coragem de revelar esta "barbárie" . Bem Haja.
Joaquim Espiñal

Anónimo a 2 de Novembro de 2016 às 18:04
Boa tarde a todos menos a um e menos a outros como este.

Existem pessoas, e como pessoas quero referir-me aquelas como a Gabriela que consideram que os seres vivos são para ser tratados como gostaríamos de ser tratados nós próprios, e que teve a coragem de denunciar esta espécie de ser humano que acha que os outros deveriam viver em função das suas ideias e caprichos, durante os míseros anos de vida que algumas pessoas têm.

Naturalmente que maltratar alguém indefeso é um ato heroico para este tipo de "gente" que possivelmente ainda não sabem o horrorosos que são.

Talvez as autoridades possam ouvir quem diz que ele não está bom da cabeça e o faça internar ou talvez fechá-lo num asilo para monstruosidades, já que para conviver com pessoas não é aconselhável.

Tendo conhecimento deste tipo de gente, como é possível chamarmos humanidade ao conjunto de pessoas que habitam na terra.

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Outubro 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
15

16
18
19
20
22

24
25
27
28
29



pesquisar neste blog