publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 28 Abril , 2010, 11:25


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 22 Abril , 2010, 23:32

No próximo dia 24 de Abril (sábado), pelas 17h00, o G.D.Vilacovense desloca-se ao Estádio do Nogueirense (Nogueira do Cravo), onde vai defrontar o G.D. Alvoco de Várzeas.

Trata-se de um jogo amigável, que tem como objectivo não só a preparação do G.D.Vilacovense, tendo em vista o jogo da final em Taveiro com o Paradela , mas também a adaptação dos jogadores ao relvado.

 

Carlos Antunes

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 20 Abril , 2010, 10:23

 

Passadas as euforias e festejos que a vitória do Vilacovense provocou, tudo torna à normalidade, a esta pacatez de ramerrame, que preenche os quase trezentos e sessenta e cinco dias do ano. 

Mas, diga-se o que se disser, as coisas, salpicadas que sejam no calendário, lá vão acontecendo.

No próximo Domingo, por exemplo, o Grande Concerto da Flor do Alva, que levará Vila Cova em peso à Casa do Povo. Logo a seguir, no Domingo seguinte, a 2 de Maio, a grande final do Vilacovense em Taveiro. A 16, ainda um Domingo, a celebração da Festa de Santa Cruz, com a solene e tradicional procissão. Ainda em Maio, no fim de semana de 29 e 30, a “Mostra de Lavores e Sabores”. Depois, já em Junho, os tradicionais festejos de S. João, com a possível presença, no fim de semana de 26 e 27 do Grupo “A Malta de 60 e 70”.

Entretanto, estão para breve as obras de ampliação e beneficiação das instalações do Centro de Dia, enquanto o “Miradouro” continua a afirmar-se entre “sites” e “blogues” da região.  

Tudo isto, numa pequena aldeia entalhada nos encraves da Beira Serra, cuja população não chega às duas centenas e com um peso etário já algo elevado.

Dá que pensar…

 

Nuno Espinal

 

 

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 19 Abril , 2010, 10:40

Vilacovense 1  Brasfemes 1

(Vitória do Vilacovense no desempate, através de remates da marca de grande penalidade)

 

Terminado o jogo, perante a alegria e euforia de jogadores e adeptos do Vilacovense, uma jovem exclamava, algo incrédula: “Até parece mentira!”

Mas, vistas as coisas com objectividade, o resultado acaba por nem ser tão surpreendente. O que acontece é que se criou uma auréola em torno da equipa de Brasfemes, que lhe engendrou uma imagem de equipa de outro campeonato, uma espécie de Golias em confronto com o pequeno David que seria o Vilacovense.

Todo este mito deve-se a razões várias. A Freguesia de Brasfemes, pertencente ao concelho de Coimbra, tem quase dois mil habitantes, alguma vida económica e a sua equipa representativa tem um historial, em termos de resultados e projecção, muito acima do modesto historial do Vilacovense. A equipa possui um campo de relva sintética e outras estruturas consolidadas, até porque já militou em campeonatos federados, chegando mesmo a ser clube satélite Académica.

O próprio número de adeptos que fez deslocar a Vila Cova, em dois autocarros e vários automóveis, adeptos esses muito entusiastas, aguerridos e confiantes, poderá ter ajudado a caracterizar uma ideia de desmedida superioridade da equipa vinda de Coimbra.

Mas a realidade foi bem outra e os jogadores do Vilacovense souberam comprová-la categoricamente em campo.

E até numa postura completamente descomplexada, impuseram nos primeiros vinte minutos um futebol que deve ter surpreendido a equipa visitante, dispondo, inclusivamente, de boas oportunidades de golo, desfeiteadas por superiores intervenções do guarda redes de Brasfemes. Depois, o Vilacovense perdeu frescura física e disso se aproveitaram os jogadores visitantes, ainda que nunca tenham traduzido a sua superioridade territorial em jogadas de grande perigo junto da baliza de Vila Cova.   

Daí que o empate verificado, no final dos 90 minutos de jogo, reflicta com exactidão uma igualdade em número de oportunidades criadas por cada equipa, apesar do maior domínio de possa de bola do Brasfemes.

Depois veio a lotaria dos remates da marca de grande penalidade. Um remate menos certo ou uma defesa mais inspirada ditam a sorte neste tipo confronto. Foi o que aconteceu ao sétimo remate contra as redes do Vilacovense. E Paulo Henriques, pela defesa que realizou, tornou-se o herói do momento.

Grande atitude dos jogadores do Vilacovense que realizaram uma exibição de grande entrega e de organização táctica a todos os títulos surpreendente, considerando o seu estatuto de jogadores amadores. A equipa tem jogadores colectiva e individualmente de grande valor, e é, no que pude observar nos últimos dez anos, (antes não me posso pronunciar) o melhor Vilacovense da década.

Uma palavra para a equipa de arbitragem. Excelente trabalho, total imparcialidade.

 

Constituição do Vilacovense:

Guarda-redes: Paulo Henriques

Defesas: Marco, kikas, António Cruz (cap), Filipe (Sérgio Gaspar aos 65 minutos

Médios: Bruno Carvalho, Wilson, Marco Paulo e Paulo Sérgio

Avançados: Mota e Paulo Ribeiro

 

Suplentes não utilizados:

 Damme, Fábio e António Antunes.

 

 

 

Nuno Espinal/Fábio Leitão

    


publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 18 Abril , 2010, 21:20

Após empate a um golo, verficado no final da partida, o Vilacovense superiorizou-se ao Brasfemes, através de remates da marca de grande penalidade, para desempate e apurar, assim, a equipa vencedora desta partida.

Parabéns aos jogadores do Vilacovense. Grande partida e forte espírito de luta.


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 17 Abril , 2010, 11:39

-Sem o Vilacovense Vila Cova continuava a ser Vila Cova?

-Com certeza…mas não era a mesma coisa!

 

-O favoritismo é todo do Brasfemes?

-É o que dizem, mas a bola é redonda…

 

-Vamos, pois, acreditar?

-Ora essa! A esperança deve ser a última coisa a morrer.

 

-Então, é tudo apenas uma questão de fezada?

-Claro que não! O Vilacovense tem excelentes jogadores e se jogarem o que sabem e estiverem no seu melhor… qual Brasfemes qual carapuça!


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 09 Abril , 2010, 07:22

Aproxima-se o dia 18, Domingo em que o Vilacovense recebe a equipa de Brasfemes, para a disputa do jogo da primeira mão, do conjunto de dois que apurará um dos finalistas do distrital de Coimbra do Campeonato do Inatel.

Dado que a paragem das equipas apuradas para esta nova série se tem prolongado excessivamente, as direcções do Vilacovense e do Bobadela marcaram para este próximo Domingo um jogo de preparação, que será disputado a partir das 16 horas no campo do Vilacovense.

Não sendo o resultado deste jogo o principal objectivo que motivará as equipas, não deixa de ser interessante ajuizar o estado de forma, tanto do Vilacovense como do Bobadela, que disputarão encontros muito difíceis, contra adversários muito credenciados.

Em especial o Vilacovense que enfrentará o Brasfemes, equipa com um historial em outro escalão do futebol e que está a perspectivar, já no próxima época, integrar o distrital de futebol federado de Coimbra.

Ainda assim, o Vilacovense tem os seus argumentos e se a equipa apresentar, tal como se espera, os seus principais jogadores poderá dificultar a acção da equipa de Brasfemes, apesar do favoritismo que à partida é atribuído aos forasteiros.

Mas, vamos confiar num jogo digno e honroso da equipa de Vila Cova e manifestar um total apoio aos seus jogadores, apoio esse que poderá já ser ensaiado no jogo de preparação (e amigável) no próximo Domingo com o Bobadela.

 

Nuno Espinal

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 30 Março , 2010, 12:52

É da praxe: Quando termina o campeonato do Inatel (1ª fase) dirigentes e jogadores do Vilacovense reúnem-se num jantar para confraternizarem. Quase todos presentes (ausência de quatro jogadores por motivos profissionais) e um ambiente de festa e grande camaradagem. De resto, os ingredientes foram de sobra para que este convívio se concretizasse em pleno. Uma época em grande, com a qualificação para a fase seguinte conseguida, a amizade entre todos a ser soberana e relações pessoais e institucionais sem máculas a registar.

Houve os tradicionais e imprescindíveis discursos. Dois a assinalar. O do treinador Wilson (e também jogador), que manifestou a esperança de todos os jogadores estarem presentes no próximo dia 18 para o muito difícil confronto com a equipa do Brasfemes. Curiosa a referência e o gesto de Wilson para com o guarda-redes Paulo Henriques. É que Paulo Henriques tem um ar um tanto “punk”, pelo corte de cabelo e pode aparentar uma atitude algo “néglengicé”. Este aparato terá assustado, inicialmente Wilson. Mas os receios desvaneceram-se com o tempo, já que Paulo Henriques revelou boas qualidades humanas no relacionamento,  e a comprová-lo o treinador do Vilacovense decidiu-se a oferecer a Paulo Henriques uma lembrança pessoal (uma medalha), meramente simbólica, mas que consubstanciasse um gesto que quis que fosse testemunhado por todo o grupo.

Também discursou o Presidente do Vilacovense, Carlos Antunes, que agradeceu a todos os jogadores a espectacular época realizada. Ainda assim, toda a “bela tem um senão” e o senão da época do Vilacovense terão sido os resultados das últimas quatro jornadas. Mas há que apagar este momento menos conseguido e a melhor forma de o fazer será, nas palavras de Carlos Antunes, com uma boa exibição no jogo contra o Brasfemes.

 

 

Nuno Espinal/Fábio Leitão

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 22 Março , 2010, 08:02

De pé, da esquerda para a direita: Mota, Dani, Wilson, Bruno Carvalho e António Cruz;

1º plano: Fábio Leitão, Sérgio Gaspar, Paulo Ribeiro, António Assunção, Filipe e Marco.

 

Continua o descalabro do Vilacovense. E aquela equipa a que nos habituámos, com um meio campo organizado e uma defesa consistente, com bolas lançadas em profundidade a provocar situações de golo junto das balizas adversárias, a construir jogadas de belo efeito e a concretizar boas exibições, parece já ser uma miragem.

Claro que há explicações que tenderão a obviar ou a minimizar esta queda de rendimento e a explicar esta série de desfechos desfavoráveis. A equipa, por exemplo, continua a não contar com jogadores influentes e ainda no jogo de hoje (Domingo) viu lesionados mais dois (Dani e Wilson).

Mas por mais motivos que se possam considerar, é difícil explicar as razões de tão acentuado tombo nas exibições e resultados.

Valeu à equipa ter a passagem à fase seguinte assegurada com uma precocidade explicada pela superioridade que em dois terços do campeonato, de forma indiscutível, manifestou. Metaforicamente dir-se-ia que Vilacovense do quase oitenta passou, abruptamente, ao quase oito.

Agora o apuramento para a final do distrital do Inatel de Coimbra passa pelo confronto com a equipa do Brasfemes, em jogo a ser disputado em Vila Cova, em princípio a 18 de Abril. Jogo tremendamente difícil contra uma equipa habituada (e com estofo) a campeonatos de outro escalão.

Mas há sempre uma esperança e a possibilidade de vitória, ainda que quase um sonho, não a devemos descartar. Vamos dar o maior apoio aos jogadores do Vilacovense e, aparte o resultado que possam conseguir, manifestar-lhes, assim como ao treinador e dirigentes, a nossa gratidão por tudo o que de muito positivo já conseguiram esta época.

 

Nuno Espinal

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 15 Março , 2010, 02:38

 

De pé, da esquerda para a direita: Mota, Paulo Henriques, Paulo Sérgio (marcador do golo do Vilacovense), Dani e António Cruz;

Primeiro plano: Kikas, António Assunção, Fábio Leitão, Bruno Santos, Filipe e Marco.

 

 

 

 

 

 

Alvoco  4  Vilacovense 1

O Vilacovense que esteve Domingo em Alvoco foi uma imagem pálida do real Vilacovense. E duas são as principais razões para esta espécie de espectro do verdadeiro Vilacovense. Ausência de alguns dos jogadores mais influentes e falta de motivação. Com a passagem à fase seguinte assegurada e sem quaisquer possibilidades de alcançar o primeiro lugar (a equipa ganhe ou perca os jogos que faltam será sempre segunda na classificação) os jogadores sentem a falta de um móbil que lhes espicace o ânimo.

Para além destas causas, que pesam consideravelmente no rendimento da equipa, o jogo com a formação de Alvoco teve outras contingências que ajudam a explicar o descalabro expresso no resultado. A lesão de Dani, logo nos minutos iniciais, a expulsão de Kikas, deixando a equipa reduzida a dez jogadores durante grande parte do encontro e a validação do árbitro de três golos da equipa da casa, obtidos de forma irregular. Um golo em que o guarda-redes Paulo Henriques é carregado em falta e outros dois golos precedidos de fora de jogo.

Não significa isto que a equipa de Alvoco das Várzeas não tenha merecido a vitória. Mereceu-a até porque conseguiu melhores oportunidades de golo, algumas delas negadas por boas intervenções de Paulo Henriques.

O Vilacovense que jogará a fase final terá de reencontrar-se. Estamos certos que sim já que apresentará os seus habituais titulares e a fibra que lhe conhecemos será readquirida. Até lá os jogos a disputar serão para cumprir calendário. Ainda assim pede-se mais atitude.  

 

Nuno Espinal

 


comentários recentes
Muito bem! Gostei. Contudo falta referir muitos pe...
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
Fevereiro 2020
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
13
15

16
17
18
19

23
24
25
26
27
28
29


pesquisar neste blog