publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 11 Setembro , 2012, 23:37

Há imagens que nos evocam um tempo. Tempo de castanhas, tempo de Novembro.

Um tempo de um amanhã que não tarda.

Hoje olho o castanheiro e já lhe desejo as castanhas. Como que a apressar o futuro, como que a rejeitar o presente.

Estúpido paradoxo.

A cada momento evoco saudosamente o passado.

E antecipando o prazer de um futuro que festivamente imagino sei que este presente será passado.

Vou-lhe, fatalmente sentir a falta.

A falta que sentirei deste tempo que nunca mais voltará.

Eis-me no dilema: sentir saudades do passado e (dixit Pessoa), saudades do futuro.

 

Nuno Espinal

 

 


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




comentários recentes
As nossas condolências para a família toda.Frenk e...
" Ser Poeta ė ser mais alto...(Florbela Espanca)Qu...
Caro Nuno: Gostei muito. Aliás não esperava outra ...
Demasiado jovem para partir.Que descanse em paz.
Sentidos pêsames a toda a família. Muita força e c...
Boa tarde. Qual é o valor em ml de 2/5 de azeite?
Muito bem! Gostei. Contudo falta referir muitos pe...
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
Setembro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14

20

23
28



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds