publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 10 Agosto , 2012, 21:10

A reação do edil máximo de um município alemão, quando se dispunha à reconstrução da sua cidade, completamente em escombros, após os potentes bombardeamentos dos aliados na contenda da segunda guerra mundial, é bem elucidativa do significado da força do património cultural de um povo.

Dizia o edil, segundo o relato que tive oportunidade de ler, numa revista política francesa, traçando planos e propostas para a reedificação da sua cidade:

 

"O patrimônio é a herança que recebemos dos nossos antepassados, com que vivemos hoje, e que doamos às gerações futuras. A reconstrução do nosso majestoso edifício de espetáculos, totalmente destruído, é a primeira medida que vou tomar, porque quero dar alento à alma do povo, neste momento destroçada. O povo há-de reerguer-se com o ânimo do seu legado cultural, expresso nas suas tradições, nos costumes, nas artes dos espetáculos."

 

Vem este caso a propósito do espetáculo da Carminho em Arganil. Grande espetáculo, acrescente-se, que cativou uma assistência nunca antes vista na Praça Simões Dias. Apesar do êxito que retumbou, não houve quem se dispensasse a comentários críticos, alegando o preço investido no espetáculo (afinal nem foi assim tão caro) face à crise que vivemos. Antes de mais uma observação. Viva a liberdade de opinião. Mas, por isso mesmo, não me furto à crítica a estes críticos. Manifesto, para com eles, a minha discordância. Se levantamos a voz em defesa da reconstrução do Teatro Alves Coelho, em Arganil, se opinamos contra a barbaridade das obras da escadaria da Igreja do Convento, em Vila Cova, considerando que valia mais, mesmo com gastos maiores, outra opção que valorizasse o património e a história daquele conjunto histórico, então, em abono da coerência, aplaudamos a ação do município, ao dar-nos a possibilidade de ouvir e ver  uma das maiores intérpretes da atualidade de uma expressão cultural que é nossa, e que se chama Fado. Fez-se cultura, defendeu-se o Património, ainda que Património Imaterial, mas não menos Património.

E mais não digo. Deixo, em jeito de reflexão, a atitude do edil alemão, com todo o peso pedagógico que contém. Só mais uma achega ao finalizar. Para que não subsistam interpretações enviesadas, este autarca era um confesso antinazi.

 

Nuno Espinal


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Agosto 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14
17
18

21
22
24

26
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds