publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 29 Maio , 2012, 07:51

 

As férias escolares dos anos “60” traziam a Vila Cova estudantes vindos de Lisboa, Coimbra e Porto, que aqui passavam os meses de Junho a Setembro, dando à aldeia uma outra movimentação e colorido. De manhã à noite, nas algazarras e brincadeiras típicas dos seus jovens anos, enchiam Vila Cova com as suas traquinices, as suas irreverências, mas sempre nos limites que o bom decoro exigia. Iam até mais longe. Na sua intenção de serem participativos no então chamado “progresso da terra” promoviam “récitas” cujas receitas eram usadas em fins sociais da aldeia.

As “récitas” não eram mais que um mostruário das suas habilidades, quer em pequenas peças de teatro, quer em cantorias, quer em números de humorismo, enfim, numa demonstração das suas amadoras artes.

O certo é que o povo todo aderia a estas “récitas”, que tinham lugar no Salão Paroquial, com o beneplácito e bênção do bondoso e saudoso Padre Januário.

De entre as peripécias das récitas houve uma que deu brado e ficou famosa. A recriação dos afamados “Beatles”, ao som do “Twist and Shout”, quadro este protagonizado por mim, meu irmão Quim, o Zé Oliveira Alves e o Toneca (António Gabriel de Almeida). Aquilo foi um verdadeiro desatino. Com um cenário todo avermelhado por lâmpadas coloridas, os interruptores em ação intermitente a ritmarem ainda mais o ambiente, os corpos dos desvairados “beatles” em movimentos de convulsão, a coisa foi de tal maneira louca que ainda o frenético twist não tinha chegado ao fim já as improvisadas baterias e guitarras estavam desfeitas em fanicos.

O povo ria a bandeiras despregadas e a destabilização foi de tal ordem que houve que esperar largos minutos até a récita poder recomeçar.

Hoje todos recordamos este momento com saudade e, sinceramente, não evitamos um largo sorriso quando o evocamos.

Evocação esta que foi mesmo feita no nosso “V encontro”, com uma brincadeira do Antero Madeira, que improvisou uns bem imitados “discos de ouro”, que foram ofertados aos “Beatles Baratos” de então.

Que saudades…

 

Texto: Nuno Espinal

Foto: Alberto Leal


comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12


20
25



pesquisar neste blog