publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 25 Abril , 2012, 02:50
 

Soavam rumores na madrugada…

 

E ouvia-se “Grândola vila morena”…

Como em canto de alvorada

À liberdade que acena.

 

 Na ponta da carabina sorria

Um sorriso de criança

Em rubro cravo em flor…

 

 Tudo parecia magia,

Assomo de esperança,

Um sonho cheio de cor.

 

 Mas, os anos são madrastos!

Já se reclamam alentos,

Luta à desigualdade!

 

 Por isso, não me furtarei aos lastros,

Que exalam dos teus ventos,

Minha doce Liberdade.

 

 

Nuno Espinal


Joaquim Espiñal a 26 de Abril de 2012 às 12:23
Lindo poema sobre a Liberdade do nosso "descontentamento".

comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Abril 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13

15
20

22
24
27

30


pesquisar neste blog