publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 05 Janeiro , 2011, 20:25

Dias cinzentos de saudade.

A cor além do nevoeiro

E, neste silêncio denso, prevejo,

Além,

Chilreios de Primavera

E futuro de tons de azul.

 

Nuno Espinal

 


Silvino Lopes a 6 de Janeiro de 2011 às 18:06
Amigo Nuno
Ao ver o título deste teu poema, lembrei-me de te enviar um que fiz, há uns anos atrás, sentado no miradouro da Graça, em Lisboa, quase ao fim do dia.
Até breve.
Fica um abraço
e o poema

CORES

Amarelo e violeta.
Rosa, cinza e carmesim,
Vermelho, azul cetim.
Um verde maçã reineta
Neste céu que não tem fim.

A noite já se aproxima.
Contraste do negro monte.
Um espelho prata na ponte.
São as cores aqui de cima
Neste céu aqui defronte.

Tudo se apaga e acende.
É uma outra luz que avança.
São as cores da mudança,
Que nos meus olhos se prende,
Neste céu que não me cansa.

A noite já se ilumina
Em luzeiros cintilantes
Onde hoje e, como antes,
É o céu que me domina
Nestas cores que são instantes.
Silvino Lopes

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14

16
18
22

24
29



pesquisar neste blog