publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 29 Julho , 2010, 21:16

Claro que a agricultura de subsistência, na nossa zona, já é das calendas. Mas há produtos sacados à terra que ainda fazem parte das lavouras de muitas famílias. A batata é um deles.

E, em pleno período da sua apanha, a paisagem dos campos é salpicada por grupos que, no estorrico de um sol escaldante, a arrancam, para depois a ensacarem.

A lavoura, nos trabalhos em que maior quantidade de braços é precisa, é feita em partilha, em entreajuda.

Junta-se a família, acrescida de amigos, hoje na minha fazenda, amanhã na fazenda de um amigo, de outros amigos.

E vão-se repetindo os ciclos, ainda que, nos seus preceitos, usos e práticas, com adaptações às circunstâncias.

Há, para alguns, uma nostalgia do que era em outros tempos. E, para outros, o que é hoje há-de ser nostalgia em tempos do devir.

 

Nuno Espinal


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Julho 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9


24



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds