publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 01 Março , 2010, 01:02

O número das mais de cem pessoas vindas de Lavos contrastava com o de pessoas de Vila Cova que se associaram à homenagem ao Dr. Júlio Gouveia. De facto, tanto na Igreja como no piquenique os vilacovenses pouco mais seriam que meia dúzia. Qual o porquê de tão reduzida adesão?

Antes de mais há que considerar que o Dr. Júlio Gouveia, se hoje fosse vivo, teria cento e dois anos de idade e, tendo falecido há mais de vinte anos, não será uma pessoa conhecida da actual comunidade vilacovense.

Para além do mais, o Dr. Júlio Gouveia viveu grande parte da sua vida em Lavos, onde exerceu a sua profissão de médico, visitando Vila Cova, sua terra natal, pouco mais que duas semanas por ano, não se lhe conhecendo grandes ligações à terra natal em termos, por exemplo, de actividades associativas.

Acontece ainda que esta homenagem, da iniciativa do povo e da Junta de Freguesia de Lavos, foi pouco publicitada em Vila Cova, com uma total ausência da sensibilização que deveria ter sido feita junto dos vilacovenses.

Mesmo assim, tanto a Junta de Freguesia, como a Santa Casa de Misericórdia, como a Filarmónica Flor do Alva participaram nesta homenagem, que poderia ter constituído uma excelente propaganda à nossa região, não fora o mau tempo que fez no Sábado e que impediu os lavenses que nos visitaram de poderem apreciar as nossas belezas naturais e os nossos monumentos.

Nuno Espinal

 

Na foto: Romagem ao jazigo onde estão depositados os restos mortais do Dr. Júlio Gouveia

 


Anónimo a 3 de Março de 2010 às 20:20
Não deixando de respeitar o direito de liberdade de expressão e a opinião que todos cabe - preceito de um país democrático e princípio basilar de toda a civilização permita-me que aqui assinale a minha incredulidade com as palavras que li.
Num evento que julgava ter como único intuito o agradecimento de um povo que teve a felicidade um dia, de poder contar com um grande cotação de um Homem de bem, que dedicou grande parte da sua vida à Vida de outros, não consegui depreender, das suas palavras, quem então terá estado menos bem?... O Povo de Vila Cova (por ter tenra idade?...); a Junta de Freguesia de Lavos (por terquerido visitar a "última morada" do Dr. Júlio Gouveia?) ou o próprio Dr. Júlio Gouveia (por ter vivido tambèm em Lavos?)...
Num momento em que quem sentiu e viveu, achou haver lugar a uma express~so de gratidão e soube estar presente, não fará qualquer sentido pensar em acções ou campanhas de sensibilização.
Não estamos num qualquer comicio onde há lugar a angariação de pessoas para fazer número. A homenagem a um Homem que cuidou um povo de alma e coração não pode ser udada como meio de propaganda do que quer que seja. Em altura alguma se ouviram considerações acerca da beleza da vila de Santa Luzia de Lavos - promotora deste evento- que concerteza também terá as suas.
Nesta homenagem merecida, somente há lugar a 2 participantes- o Dr. Júlio Jorge Gouveia de um lado, e um povo grato que neste dia o quis demonstrar, por outro, e que ficou bem evidente- dispensando-se, assim, o protagonismo de terceiros.

Ass:
familares, amigos, pacientes.

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Março 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





pesquisar neste blog