publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 27 Dezembro , 2008, 23:25

 

Gosto de viver a tradição o que é diferente de viver na tradição. Pontualmente e em certas circunstâncias, em relação com o passado, na afirmação das características próprias da comunidade que se integra, do meio ambiente que se vive.
Daí que me desgoste a ausência do velho cepo da Praça. Paciência. De resto, a tradição só o é quando naturalmente vivificada. Quando artificialmente criada, para turista ver, deixa de ser tradição, quando muito uma mera recriação para recreação.
Mas, ainda assim, não me choca o cepo que tem ardido no sítio das tílias. Resquício que já seja de um passado, mas não deixa de me fazer recordar. E lá se encontram, em seu redor, grupos de homens e, por vezes, uma ou outra mulher, tagarelando sobre tagarelices, mãos estendidas ao calor do lume, aquecendo-se do frio que corta. E, se necessário for, o complemento está mesmo ali, a um curto passo. Ali mesmo no “Café da Zira”, com um café bem quentinho ou mesmo um “abafadinho” e outras coisas em “inho”, que são milagrosas para abafar por dentro.
E o cepo lá vai cumprindo a sua função.
Que para mim, aceite-se o paralelismo, ainda que sendo cepo é-o mas em versão minimalista…
 
 
Nuno Espinal

 


comentários recentes
Caro Sr. Avelar: obrigado pelo seu comentário. Apr...
As nossas condolências para a família toda.Frenk e...
" Ser Poeta ė ser mais alto...(Florbela Espanca)Qu...
Caro Nuno: Gostei muito. Aliás não esperava outra ...
Demasiado jovem para partir.Que descanse em paz.
Sentidos pêsames a toda a família. Muita força e c...
Boa tarde. Qual é o valor em ml de 2/5 de azeite?
Muito bem! Gostei. Contudo falta referir muitos pe...
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Dezembro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11

18
20

23
25

28
30


pesquisar neste blog