publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 28 Agosto , 2008, 12:27

 

O Diário As Beiras ocupa uma das suas páginas, da edição de ontem, com uma extensa e esclarecedora peça sobre a deslocação da Flor do Alva à Camacha.
As fotos que publica são respigadas do Miradouro, o que para nós não deixa de ser motivo de orgulho e satisfação.
Porque se trata, em nosso entender, de um documento de muita importância para a Flor do Alva e para Vila Cova, deixamos aqui transcrita, integralmente, a peça publicada por este conhecido diário regionalista:.
 
“No ano passado a Banda Paroquial de S. Lourenço da Camacha veio a Vila Cova de Alva. Agora somos nós que vamos visitá-los”, contou José Raimundo, presidente da banda Filarmónica Flor do Alva. O passeio até ao arquipélago da Madeira, insere-se num intercâmbio entre as duas associações, desenvolvido por Rui Quaresma, antigo maestro da filarmónica.
            “Concretamente, esta é a primeira vez, na história da filarmónica, que sai de Portugal Continental, embora já tivéssemos percorrido o país todo de norte a sul”, acrescentou o presidente.
            Em declarações ao Diário As Beiras, José Raimundo explicou que “os músicos tiveram de pagar as passagens do bolso deles por causa da associação não dispor de apoios”. “ Os elementos abdicaram do dinheiro dos serviços para concretizar a viagem á Madeira”, adiantou indignado.
“Dá-me vontade de pensar duas vezes. Fazemos um sacrifício tão grande para não recebermos ajuda nenhuma do Ministério da Cultura”, desabafou, acrescentado que deveria ser da maior atenção e apoio financeiro às bandas filarmónicas. “Deviam ver isto que se passa connosco e não só … em vez de darem somente atenção aos grandes centros”, revela.
            Contudo, José Raimundo, adianta que está muito grato à Câmara Municipal de Arganil. “O município disponibilizou-nos o transporte (ir e vir do aeroporto) bem como a parte dos seguros”, revelou.
Há três anos na presidência da banda filarmónica, José Raimundo de 37 anos acredita que a boa vontade dos amigos, da população de Vila Cova de Alva, da Junta de Freguesia e da Santa Casa da Misericórdia contribuem para que “a associação ainda esteja de pé”. Segundo o presidente da filarmónica, os músicos têm idades compreendidas entre os sete e os sessenta e cinco anos. A associação dispõe, ainda, de uma escola de música que, actualmente, já conta com 10 aprendizes, adiantou o presidente
            Relativamente às expectativas para a viagem, o presidente foi peremptório: “são boas. Algo bem merecido pela juventude. Estamos a recompensá-los”.
            À disposição da Banda Filarmónica Flor do Alva estarão seis dias recheados de diversas actividades, garantiu José Raimundo.
 
 
 

 


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Agosto 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






pesquisar neste blog
 
subscrever feeds