publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 15 Julho , 2008, 01:33

 

Corria o ano de 1963 (ou 64) e a petizada, na companhia do Sr. Prior e com a postura da praxe, entregava-se à foto, que registaria um  momento significativo do percurso das suas vidas: o dia da 1ª comunhão.

Hoje um único degrau que fosse, da escadaria de acesso à Igreja, seria mais que bastante para a míngua meia dúzia de miúdos, (nem tanto, por certo) de entre os 6 e os 10 anos, que se contabilizam no povoado .

A foto suscita-me ainda uma terrível pergunta: De todos os da foto quantos permanecem em Vila   Cova?

Um, dois, três, se tanto, não mais.

A resposta é perturbante. Mas mais perturbante ainda é pensar: E amanhã, como será?

 

Nuno Espinal

 

 

 


comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Julho 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

17

24

28


pesquisar neste blog