publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 03 Junho , 2018, 14:43

 

 

 

fragata 068.JPG

 

Comparando “tempos” não há que negar evidências. Dos isolamentos das urbes de há 50 e mais anos, aos dias de hoje, a era global está bem assertiva. Veja-se o caso dos “Gorgulhos”. Exibiram-se ontem num palco (Salão da Casa do Povo) de Vila Cova. O seu técnico de luzes e som é bem Vilacovense: o Duarte Martinho. Os principais protagonistas do Grupo, o Silvino Lopes e a Fernanda Santana, residem em Anceriz. Outros dois atores, o Acácio Simões e a Sofia Gouveia são do Barril de Alva.  E a outra atriz do elenco, a Vera Filipa, é de Cascais e reside em Lourosa.  

Que se calem, pois, os bairristas exacerbados. São poucos, mas de ruído truculento. Daqui e de outros lugares. No âmago do bairrismo, quando exacerbado, está a divisão doentia entre o “nós” e os “outros”, o que conduz à exacerbação do próprio relativamente ao alheio. Amemos as nossas terras de um modo natural, sem complexos de superioridade, ou de inferioridade, perante os outros. A nossa “Flor do Alva” é um exemplo significativo da necessidade de “outros”, para que a sua continuidade seja uma realidade.

Mas, tornemos aos “Gorgulhos”. Têm um cada vez maior domínio do palco. A nível de texto, da empatia com o público, da cenografia, da representação de atores. “O Capitão Fragata”, pela última vez ontem exibida, é uma peça que, por tudo o referido, agarra o espetador do princípio ao fim. Os momentos musicais, então, põem o espetador a bater palmas, a bater o pezinho, a bambolear-se na cadeira. Parabéns aos “Gorgulhos” e uma especial referência ao Silvino Lopes, porque muito do que os “Gorgulhos” são tem muito da sua lavra.

A tarde de ontem prometia um miniconcerto da “Flor do Alva”. Não aconteceu porque alguns dos músicos da Banda não puderam comparecer.

Mas, a sardinhada, essa, cumpriu-se. E graças a se ter cumprido porque foi bem saboreada, com o recheio habitual de umas ótimas batatas cozidas e salada, os adorados bolos lêvedos e a consagrada “Tigelada à Vila Cova”.

Teatro e convívio, a pretexto de uma sardinhada, e uma tarde bem passada. Que aconteça mais vezes!

 

Nuno Espinal

fragata 083.JPG

fragata 078.JPG

 

fragata 089.JPG

fragata 091.JPG

fragata 092.JPG

 


comentários recentes
Adorei esta peça, obrigada por esta comedia e por ...
Faz sentido esta ideia da Aprendizagem Cooperativa...
sentimentos a sua família. dalila trindade costa p...
Parabéns à Flor do Alva pelo centenário que acaba ...
Visão esclarecida e preocupada de um preclaro cida...
parabéns Dª Lucília silva tudo de bom
também para si um bom ano novo senhor Nuno Espinal...
Obrigado, um bom ano também para si, Um grande abr...
Partilho, caro Espinal. Um bom ano, amigo
Na minha aldeia - Torroselo -, o leilão de oferend...
Junho 2018
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
14
15

17
19
22
23

26
27
28
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds