publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 01 Novembro , 2015, 21:26

Imagem 031.jpg

 

A globalização é um fenómeno que, desde as modernas potencialidades da tecnologia da comunicação, tem tido efeitos inegáveis na uniformização de hábitos e costumes, alterando ou esbatendo mentalidades específicas ou manifestações subculturais de incidência local ou regional.

E esse esbatimento é diretamente proporcional ao decréscimo nos escalões dos vários segmentos etários.

 

Reportemo-nos a Vila Cova: Na década de sessenta eram contrastantes os hábitos, mentalidades e conceitos morais, em algumas manifestações típicas no quotidiano, entre os residentes de Vila Cova e os, especialmente, jovens estudantes que nos períodos de férias se fixavam na aldeia.

Um mero exemplo: Munidos de gira discos de pilhas, a estudantada, grupo no qual me incluía, dançava o “twist” em locais não restritos à presença de qualquer um. Surpreendidos, os vilacovenses comentavam aquela estranha dança referindo-a de escandalosa e quase satânica. “Aquilo é uma dança do diabo, aquilo atenta à decência”, ouvia-se.

E a dança não era mais que um ondulante requebrar de ancas e umas elevações e abaixamentos de pernas, que faziam subir, uns reduzidos centímetros, as saias por cima dos joelhos.

-"É a dança do “fodiste”, dizia um mais afoito e até, reconheça-se, com uma boa dose de humor.

 

Os anos avançaram para mais de meio século. Pois, há dias, na intenção de motivar um jovem para integrar o grupo etnográfico agora em constituição, dei-lhe a conhecer algumas das letras das cantigas, então dançadas e cantadas nas “rodas”.

Foi-as lendo ao mesmo tempo que se ia rindo a bandeiras despregadas. Particularmente hilariante encontrou estes versos:

 

A pomba caiu no mar

A pomba no mar caiu

Nos braços do meu amor

Agarrei a pomba, ela me fugiu

 

Fugiu a minha pombinha

Já não tenho portador

Já não tenho quem me leve

As cartas ao meu amor.

 

-Isto é de partir o coco! – Comentava. Era mesmo isto que se cantava nos tempos dos meus avós?

 

Entretanto, soa um toque de chamada telefónica. Atende: Era a namorada.

 

Ora aí está. A pombinha a ceder lugar ao telemóvel…

 

 

PS: O jovem vai integrar o grupo.

 

Nuno Espinal


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Novembro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11

21

25
28

30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds