publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 18 Agosto , 2014, 23:44

 

 

Acontece-me ano a ano, neste cenário, de casas e montes e verde, muito verde: um reviver de tempos idos, com amigos de sempre, a marcar um tempo presente em cada agosto.  

Depois, já noite cavada, no ego sentido da solidão, a nostalgia de um passado já longínquo, e os mesmos amigos de sempre, transfigurados pela memória, nos loucos anos das juventudes, das nossas juventudes.

E neste deambular do passado ao presente, do presente ao passado a intermitência do sentir agridoce da saudade e de momentos de jocosos estares e partilhados afetos.

 

Nuno Espinal

 

 

 

 

 

 

 


comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Agosto 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
13

17
19
20
22

25

31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds