publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 18 Agosto , 2014, 23:44

 

 

Acontece-me ano a ano, neste cenário, de casas e montes e verde, muito verde: um reviver de tempos idos, com amigos de sempre, a marcar um tempo presente em cada agosto.  

Depois, já noite cavada, no ego sentido da solidão, a nostalgia de um passado já longínquo, e os mesmos amigos de sempre, transfigurados pela memória, nos loucos anos das juventudes, das nossas juventudes.

E neste deambular do passado ao presente, do presente ao passado a intermitência do sentir agridoce da saudade e de momentos de jocosos estares e partilhados afetos.

 

Nuno Espinal

 

 

 

 

 

 

 


comentários recentes
Tio Zé Torda, descanse em paz e que Deus o ponh...
Caro Dr. NunoFoi sem dúvida uma tarde e uma noite...
Sinceros sentimentos pelo falecimento do Tó Man...
Não foi de Covid
DISTÂNCIA/SEPARATISMO DOS PARASITAS-HORRORIZADOS c...
Foi de Covid-19?
Caro Sr. Avelar: obrigado pelo seu comentário. Apr...
As nossas condolências para a família toda.Frenk e...
" Ser Poeta ė ser mais alto...(Florbela Espanca)Qu...
Caro Nuno: Gostei muito. Aliás não esperava outra ...
Agosto 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
13

17
19
20
22

25

31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds