publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 15 Abril , 2014, 23:51

 

 

Vem aí o “encontro da malta”. E à rapaziada provoco esta pergunta. Recordam-se da Fonte dos Amores? Sim, em Vila Cova!

Os acessos só se cumpriam de barco. Subíamos o rio, do Salgueiral ao Porto d’Avô, naqueles pitorescos barcos a remo de então, (ah! quantas vezes não remei o S. Jorge!) e em lugar escondido e de pequena reentrância à zona das fontainhas, atingíamos a tão almejada Fonte dos Amores.

Almejada, digo bem. Não tanto pelas qualidades do pequeno fio de água que lhe jorrava, vindo sabe-se lá de onde. Mas, o local da fonte, recôndito e íntimo, era bem bonançoso, e para mais seguro a muito apaixonados ais e suspiros de amor.

Éramos jovens, sangue a ferver.

E corria entre nós uma crença. Parzinho que daquela água bebesse ficava para sempre preso às setas do cupido. Amor garantido para toda a vida!

Muitas goladas bebi, confesso. Ano após ano em paixonetas várias. Mas efeito, o da profecia, nunca a água me fez algum. Nem a mim, nem aos outros.

Ah, a não ser o de uma grande saudade!…

 

Nuno Espinal


comentários recentes
Mais um homem bom que nos deixa. Há tempo que não ...
A perda de um amigo e a amigo da minha família, de...
Publiquei um comentário sobre o meu tio Zé, não ch...
Tio Zé Torda , descanse em paz e que DEUS o pon...
Tio Zé Torda, descanse em paz e que Deus o ponh...
Caro Dr. NunoFoi sem dúvida uma tarde e uma noite...
Sinceros sentimentos pelo falecimento do Tó Man...
Não foi de Covid
DISTÂNCIA/SEPARATISMO DOS PARASITAS-HORRORIZADOS c...
Foi de Covid-19?
Abril 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11

16

25

28
29


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds