publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 07 Novembro , 2013, 18:28

É-me reconfortante recordar estas peripécias do meu avô Albertino, o qual evoco com saudade. Tinha o seu feitio especial, já que era muito convicto nas suas razões. Muitas são as vezes que o recordamos no Centro de Dia, entre nós funcionárias, não esquecendo que sempre que chegava ao Centro de Dia o fazia com um aperto de mão a todas as minhas colegas, questionando o que iria ser o lanche nesse dia. E perante a nossa resposta de que ainda não sabíamos, retorquia logo que queria batatas "fritadas".

Muito ele gostava do cão e muitas vezes, antes de se servir, dava primeiro a comida ao “Farroscas”. Quando eu o ia visitar no inverno, com a lareira acesa, lá estavam os dois, o meu avô e o cão, companheiros inseparáveis.

Era um cão muito especial. Quando o meu avô, por total incapacidade, teve de deixar a “quinta” onde vivia, o cão lá ficou, sempre bem alimentado e acarinhado por todos os filhos e netos, é certo, mas com a tristeza da ausência do dono. Não aguentou e acabou por não durar muito tempo. Faleceu por velhice, mas também por sentir muito a falta do meu avô. Não que não fosse muito bem tratado. Mas, desde a saída da "quinta" do meu avô o cão nunca mais foi o mesmo, abatido de dia para dia, cada vez mais triste e magro, recusando-se até a comer.

Para mim, o meu avô e o seu cão “Farroscas”, são bem protagonistas de uma linda história de amor.

Manuela Antunes


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 07 Novembro , 2013, 18:18

 

 

Desde há anos a Igreja do Convento era devastada por animais voadores (corujas e morcegos principalmente) que corroíam, com excrementos e depósitos digestivos, imagens, móveis e talhas, deteriorando o património artístico do templo. Para obviar à entrada destes “intrusos” havia que colocar vidros e redes em todas as janelas.

A Irmandade da Santa Casa tomou a cargo a resolução desta situação, suportando os custos do encargo.

Neste momento o interior da Igreja está protegido de qualquer invasão deste tipo, pois foram colocadas redes e vidros em todas as janelas, tendo esta ação custado cerca de mil e duzentos euros.  

 

 

NE


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Novembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

14
15


25
28
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds