publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 12 Junho , 2013, 22:59

Tenho uma vaga recordação de uma noite de Santo António que passei, quando criança, em Vila Cova. O rosmaninho ardia em vários pontos da aldeia. Ao chafariz de São Sebastião, era aí que me encontrava, rapazes e raparigas de então (meados dos anos cinquenta) saltavam a fogueira, com a animação de toda a populaça presente, que a cada salto batia palmas em grande alvoroço e risada. Um tal “americano”, era essa a sua alcunha, tocava gaita-de-beiços e nesta simplicidade de meios nascia o “bailarico”, quantas vezes prenúncio de namoros.

E quanta boa disposição e alegria!

Toda esta tradição se perdeu e hoje o que de festejos se realiza por todo o país tem, em quase todo o lado, a artificialidade do organizado e uma reduzida manifestação de criatividade popular.

O arremedo das marchas de Santo António de Lisboa grassa por todo o lado, ainda que sem a pomposidade destas, mas com a mesma falta de gosto musical e coreográfico.

Mas enfim, há quem goste e não são poucos. Eu, nem por isso. É que a marchar a toque de caixa já me basta o ano inteiro…

 

Nuno Espinal


comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Junho 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
14

17
19

27
29



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds