publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 11 Setembro , 2012, 23:37

Há imagens que nos evocam um tempo. Tempo de castanhas, tempo de Novembro.

Um tempo de um amanhã que não tarda.

Hoje olho o castanheiro e já lhe desejo as castanhas. Como que a apressar o futuro, como que a rejeitar o presente.

Estúpido paradoxo.

A cada momento evoco saudosamente o passado.

E antecipando o prazer de um futuro que festivamente imagino sei que este presente será passado.

Vou-lhe, fatalmente sentir a falta.

A falta que sentirei deste tempo que nunca mais voltará.

Eis-me no dilema: sentir saudades do passado e (dixit Pessoa), saudades do futuro.

 

Nuno Espinal

 

 


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Setembro 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
14

20

23
28



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds