publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 17 Junho , 2012, 08:34

 

 

Às sete da manhã, hoje, o sol já lambia telhados da velha aldeia. Ao jeito de saudosos Junhos, o dia promete.

Viajo nesta teimosa atração para o passado.

Logo pela manhã o chafariz moldava-se de cântaros. Nas fazendas as fragâncias do fresco da manhã à mistura com temporãs suores da enxada. Pés descalços pisam a gravilha onde chiam rodas molengas dos carros de bois.

-Bom dia tia Júlia, bom dia ti Abílio, bom dia ti Eugénia, bom dia, bom dia, bom dia…

-Bom dia menino…

Ainda lhes oiço, a todos, as vozes nos ecos da saudade…

Hoje, nos meus cúmulos de sexagenário, divido-me, nos desejos e preferências, entre os lirismos prazerosos dessas ruralidades de então e os tempos correntes que vivemos, (mau grado a crise) apropriados de justos benefícios e outras comodidades.

E aceito, sem pestanejar o que me reclama a ideologia política: O aplauso ao presente.

Mas, amigos, as recordações, por mais voltas que dê, vivem comigo dia a dia…

 

Nuno Espinal


comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Junho 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

16


24
27
29


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds