publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 08 Maio , 2012, 21:05

 

O verde da mata aparenta a passagem de alguém a uma velocidade supersónica, em contraste com a serena passividade da velha torre da igreja do convento.

Os artifícios da foto apenas pretendem, despretensiosamente, evidenciar o caráter psicológico do tempo.

Os dias, hoje, passam a uma velocidade vertiginosa. Ouve-se dizer: Já lá vão dez anos e parece que passaram dez dias.

Passe o exagero da expressão, é verdade que o “tempo”, nos tempos de hoje, voa, e este tempo psicológico, comparativamente ao tempo cronológico, dá-nos um passar mais estreito do “tempo”.

O sino da velha torre, no seu recanto do passado, parecia ritmar-nos cada quarto de hora em batidas aquietadas e sem sobressaltos.

No tempo em que, parafraseando Eça, se fumava um “pachorrento cigarro”…

 

Nuno Espinal


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Maio 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12


20
25



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds