publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 07 Março , 2012, 19:32

 

Ouço uma morna de Cesária Évora. A propósito:

Já lá vão uns vinte e cinco anos quando pela primeira vez estive em Cabo Verde. Uma noite, no Mindelo, fui levado a um bar onde atuava Cesária Évora. Descalça, um copo já a mais, cigarro permanente entre dedos, Cesária exibia uma voz divinal, quente, que agarrava.

Já em Lisboa, um amigo meu cabo-verdiano, convidou-me para ir até ao Bairro da Graça, a uma festa de naturais do arquipélago, onde Cesária iria estar presente. Acedi sem hesitações, apesar de já ter um bilhete comprado para um espetáculo de bailado no S. Luís.  

Para não perder dinheiro, resolvi, antes de ir para a Graça, deslocar-me ao S. Luís a fim de vender o bilhete. Quando à porta daquela sala de espetáculos, um conhecido meu abeirou-se em alta vozearia, para que todos o ouvissem:

“Nuno, folgo muito em ver-te aqui. Não te conhecia como fã de tão nobre arte. Sim senhor, os meus parabéns”.

Talvez, por um impulso, respondi-lhe: “Não, estás enganado, vou a um espetáculo sim, mas não é este. Vou ver a Cesária”.

 Surpreso logo me perguntou.

“Cesária, o que é isso?”

"É uma cantora cabo-verdiana, de mornas e coladeras”.

"O quê? Trocas este espetáculo por uma coisa de pretos?”

Incomodado, nem lhe respondi e fui à minha vida.

Anos mais tarde Cesária Évora ganhou nomeada internacional. Tudo começou em Paris. Os franceses reconheceram-lhe talento e a partir daí o seu nome começou a ser badalado em todo o mundo da música. Convites e mais convites e atuações em salas nobres. Veio ao S. Luís e uma vez mais decidi-me a ir fruí-la.

Então não é que o tal indivíduo estava lá outra vez? E logo que me viu, lá veio ter comigo com a mesma exuberância.

“Nuno, folgo muito em te ver aqui. Vais assistir a uma grande espetáculo. World Music, World Music… Esta mulher é divinal. Sim senhor, os meus parabéns pelo teu interesse na cultura. Cultura etno".

Mentalmente mandei-o logo à merda. Grande cretino!

 

Nuno Espinal

  


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 07 Março , 2012, 19:11

Não podia deixar de dar importância visto ser, apesar de tudo, um assunto bem grave.
Toda a gente sabe das dificuldades que as pessoas têm em gerir as colectividades hoje em dia. Como tal, senão houver uma união, compreensão e respeito de ambas as partes, por mais trabalho e planos que haja não se irá a lado algum...
Independentemente de ser um campeonato competitivo ou não deve se encarar uma inscrição como um compromisso para com a respectiva entidade... Da mesma maneira que a essa entidade exige-se depois instrumentos e condições para trabalhar. Penso que no aspecto directivo o clube tem tudo para evoluir e ter sucesso, agora é preciso também não esquecer que é um clube de futebol e para isso existe. Assim sendo tem de haver uma responsabilidade maior da parte desportiva (jogadores, treinadores).
Posso vos dizer que, com base no meu irmão, este disputa o mesmo tipo de campeonato com um clube que nem sempre lhes dá jantar depois do jogos... E já teve diversos gastos ao nível de equipamentos e outros materiais. Claro que depois é dele mas, se não fosse pelo futebol, ele de certeza nem se preocupava...
É isto que falta a muita gente hoje em dia, preocupação com o que se faz e não fazer por fazer...
Beijos Andreia e que o Vilacovense tenha todo o sucesso possível... Assim como Vila Cova de Alva...
Abraço Grande

 

José Martins


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Março 2012
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

17

23



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds