publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 29 Dezembro , 2011, 22:39
 

Era o sino da aldeia. Recordo-lhe as funções. Anunciava cultos, tristezas e alegrias, badalava horas, toadas das trindades, verdadeiros hinos na rusticidade dos tempos.

 

Depois, para sempre, calou-se.

 

Claro, outros são os tempos. Ao toque acústico impõe-se a sineta tecnológica, os altifalantes.

 

Entretanto, já não tardam as horas do novo ano. Via “tv” para muitos. Panelas que batem, vozes, foguetes, barulho.

 

"Um Novo Ano de Saúde e Paz", diziam meus avós nos tempos do velho sino.

 

"Saúde e Paz", há quem continue a dizer. Só que mal os oiço. O mundo, hoje, é mais ruído.

 

Nuno Espinal


comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Dezembro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9

16

18

27


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds