publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 09 Fevereiro , 2011, 08:56

Voltemos a Freitas do Amaral. No seu artigo publicado no último “Expresso, com o título “Cortar no mais fácil?”, mostra-se pouco entusiasta e até nada convencido com cortes na despesa pública referentes e diminuição do número de autarquias, ministérios e deputados. E questiona e responde:

 

"/.../Querem mesmo reduzir a despesa pública sem ameaçar o Estado Social?

Então não cortem no mais fácil; cortem no mais difícil; o segredo está no "job for the boys". Cortem nas despesas de funcionamento corrente; nos subsídios; nas empresas públicas municipais; nas centenas de fundações criadas à socapa e nas inúmeras sociedades anónimas de capitais públicos (de que não há registos globais e controláveis); etc., etc.

Já agora, verifiquem a legalidade dos 14.500 organismos públicos revelados pelo Tribunal de Contas: terão sido todos criados por lei?

Senhores ministros e senhores líderes da oposição: querem V. Exas. debater a sério problemas verdadeiros do país, ou preferem falar do fácil para não falar do difícil?"

 

 

Nuno Espinal


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Fevereiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

18


28


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds