publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 09 Fevereiro , 2011, 08:56

Voltemos a Freitas do Amaral. No seu artigo publicado no último “Expresso, com o título “Cortar no mais fácil?”, mostra-se pouco entusiasta e até nada convencido com cortes na despesa pública referentes e diminuição do número de autarquias, ministérios e deputados. E questiona e responde:

 

"/.../Querem mesmo reduzir a despesa pública sem ameaçar o Estado Social?

Então não cortem no mais fácil; cortem no mais difícil; o segredo está no "job for the boys". Cortem nas despesas de funcionamento corrente; nos subsídios; nas empresas públicas municipais; nas centenas de fundações criadas à socapa e nas inúmeras sociedades anónimas de capitais públicos (de que não há registos globais e controláveis); etc., etc.

Já agora, verifiquem a legalidade dos 14.500 organismos públicos revelados pelo Tribunal de Contas: terão sido todos criados por lei?

Senhores ministros e senhores líderes da oposição: querem V. Exas. debater a sério problemas verdadeiros do país, ou preferem falar do fácil para não falar do difícil?"

 

 

Nuno Espinal


comentários recentes
Sinceros sentimentos pelo falecimento do Tó Man...
Não foi de Covid
DISTÂNCIA/SEPARATISMO DOS PARASITAS-HORRORIZADOS c...
Foi de Covid-19?
Caro Sr. Avelar: obrigado pelo seu comentário. Apr...
As nossas condolências para a família toda.Frenk e...
" Ser Poeta ė ser mais alto...(Florbela Espanca)Qu...
Caro Nuno: Gostei muito. Aliás não esperava outra ...
Demasiado jovem para partir.Que descanse em paz.
Sentidos pêsames a toda a família. Muita força e c...
Fevereiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

18


28


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds