publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 06 Dezembro , 2010, 10:13

 

 

 Bobadela 3  Vilacovense 1

 

Nunca tivemos por hábito e até nos recusamos a tal, por princípio, censurar arbitragens dos campeonatos do Inatel, nestas páginas do Miradouro. Compreendemos, até, quão ingrato é ser-se árbitro nas condições em que os jogos do Inatel são disputados, sem presença policial e segurança confiável, perante espectadores, alguns deles, tantas vezes a ultrapassar os limites do tolerável, em reacção a presumíveis erros de arbitragens. Errar é humano e muito mais desculpável será o erro quando as exigências a estes árbitros devem ser enquadradas em todo o ambiente, filosofia e sistema em que estes jogos são organizados e disputados. Jogos entre trabalhadores que, aos Domingos, como jogadores amadores, representam camisolas de associações quase sempre representativas de localidades pequenas, tidas por aldeias.  Exigir-se a um jogador amador performances das requeridas a profissionais é um disparate em que só um atrasado mental incorre. Do mesmo modo, exigir-se a um árbitro performances das que se pedem nos campeonatos federados tem a mesma definição que a premissa anterior. Por isso, por tudo o referido, a nossa vénia e respeito para com os árbitros do Inatel. E sobre isto ponto final.

Agora, o que não podemos calar são erros grosseiros, completamente inadmissíveis, cometidos por quem não deixa de ter obrigações elementares em juízos e decisões arbitrais destes jogos de futebol. E é esta obrigação elementaríssima que aqui evidenciamos, em prol da verdade desportiva que deve sempre presidir em qualquer confronto, seja a que nível for disputado. Mas vamos aos factos:

Decorria cerca de meia hora de jogo quando o jogador Gonçalo marcou um golo de belo efeito, dos melhores que temos visto nestes campeonatos, pondo o Vilacovense a ganhar por uma bola a zero. Um golo que coroava e justiçava a melhor equipa no terreno até então. Acto contínuo, os jogadores do Vilacovense confraternizaram, festejando especialmente o marcador do golo, que correu de pronto para o banco de suplentes da equipa, abraçando companheiros e treinador. Neste cenário tão típico de jogos de futebol, o árbitro, como lhe competia, encaminhou-se para a linha divisória de meio campo. Foi então que se deu o inesperado. Com sinal de apronto para jogadores do Bobadela, o árbitro deu por reiniciado o jogo, com o meio campo do Vilacovense deserto dos seus jogadores. Um jogador do Bobadela dá um toque na bola para a frente, em direcção a um seu companheiro, que corre uns metros sem qualquer adversário, claro, e remata para a baliza vazia, até porque o guarda redes do Vilacovense, Vitor Travassos, tinha corrido para além da linha de meio campo para comemorar o golo com os seus companheiros. O remate do jogador do Bobadela, com toda a facilidade, levou a bola a entrar na baliza, concretizando um golo que, caricatamente, foi validado pelo árbitro. Incrível! Ninguém queria acreditar. Jogadores e público completamente atónitos perante o que se estava a passar. Erro grosseiro e técnico, ninguém duvida, do árbitro.

 

“Lei 8 dos regulamentos de futebol:

Pontapé de saída e recomeço do jogo /…/

O pontapé de saída é um processo de começar ou recomeçar o jogo /…/ depois de ser marcado um golo /…/.

Procedimento:

Todos os jogadores devem encontrar-se no seu próprio meio campo /…/.”

 

De facto, mau demais para que nos calemos, sejam beneficiadas ou prejudicadas esta ou aquela equipa, chamem-se Vilacovense, chamem-se Bobadela, sejam elas quais forem.

 

Uma palavra para os jogadores que estiveram em campo. Perante as péssimas condições do terreno e meteorológicas (chuva e vento constantes) as equipas proporcionaram um bom espectáculo, entregando-se estoicamente ao jogo. O Vilacovense decresceu depois deste golo incrível que sofreu, acusando psicologicamente este erro inqualificável que a prejudicou. Não ganhando, demonstrou, uma vez mais, ser uma excelente equipa, que merece o maior apoio dos seus adeptos, que uma vez mais compareceram em bom número, mesmo tendo de se deslocar alguns quilómetros e sujeitado a frio, chuva e vento. Quanto ao Bobadela é uma equipa raçuda, com bons jogadores (excelente o número 10 a defender) e que por certo fará um bom campeonato.

 

 

Nuno Espinal   


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Dezembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

17
18

25

27
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds