publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 23 Março , 2010, 11:03

 

 

Realizou-se Sábado passado a Assembleia Geral da Flor do Alva, para aprovação do Relatório e Contas referente ao exercício de gestão do ano anterior.

Tudo apresentado ao pormenor, com total transparência, a comprovar uma gestão empenhada e séria.

Poucas presenças na sala, a confirmar o costume.

Entretanto, um desabafo da Direcção:

“Os que passam o ano a dizer mal, a lançar a suspeição, deviam era estar aqui hoje…”

Mas não estavam nem nunca estarão. Está-lhe na cultura esta prática da maledicência, do mexerico, da intriguinha. Dizem leviana e rancorosamente mal do que não têm a certeza e calam o bem dizer do que por vezes é evidência.

E sobre isto não há volta a dar. Vem de tempos imemoriais e teima em permanecer. Todos nós o sabemos e, por tal, às vítimas da maledicência é costume dizer-se:

“Nâo ligues, esqueçe, não merece a pena…”

Pois! Só que nem sempre é fácil, e quantas vezes o visado, por tão injustiçado, se determina na demissão.

Lamentável e até dramático. É que neste complexo de causas, em mercê da sociedade e tão parco em voluntariado, a demissão de um que seja é sempre uma mais valia perdida e um prejuízo que pode atingir muitos.

 

Nuno Espinal   

 

 

tags:

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Março 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





pesquisar neste blog
 
subscrever feeds