publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 09 Março , 2010, 09:13

Ainda que me sinta alheado e crítico destas comemorações dos “dias de qualquer coisa” marcados no calendário, a verdade é que esta aldeia global que inexoravelmente nos envolve e integra não nos permite pontos de fuga para um abrigo totalmente isolante.

E pronto! Eis as comemorações (ontem) em todo o mundo (em todo o mundo - é assim que eles dizem) do Dia Mundial da Mulher.

À noite quis o acaso que assistisse a um documentário, numa das nossas “têvês”, sobre a tragédia na Madeira. Imagens dilacerantes, pungentes. A certa altura do filme a história dramática de um grande homem, bombeiro de profissão que, no afã de salvar vidas, perdeu a sua própria vida.

Surgem imagens em grande plano do rosto da filha órfã, jovem de uns doze anos. Chora convulsivamente e diz: Tenho tantas saudades do meu pai!

Comovi-me e muito. E foi esta ainda tão pequenita mulher que me marcou o dia.

 

Nuno Espinal

 


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Março 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





pesquisar neste blog
 
subscrever feeds