publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 05 Fevereiro , 2010, 23:16

Em plena mata do convento, a mimosa, a golpes de braços, soergue-se e colhe-nos na surpresa de já refulgir, precocemente, o amarelo da sua flor. Outras há, espalhadas por montes e vales, que muito timidamente acenam pálidos lampejos de floração.  

Eis o rotativo e incessante caminhar da natureza. E o inverno, que vai a meio, parece já nos apontar alguns sinais, muito ténues é certo, da primavera.

Calma! Dê-se tempo ao tempo!” -  Dizem os mais avisados.

É verdade que sim. Mas, os dias sombrios, que teimosamente tanto se prolongam, já nos fazem ansiar por outra cor e outra luz.

 

Nuno Espinal

 


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Fevereiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9

15

24
27



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds