publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 05 Fevereiro , 2010, 23:16

Em plena mata do convento, a mimosa, a golpes de braços, soergue-se e colhe-nos na surpresa de já refulgir, precocemente, o amarelo da sua flor. Outras há, espalhadas por montes e vales, que muito timidamente acenam pálidos lampejos de floração.  

Eis o rotativo e incessante caminhar da natureza. E o inverno, que vai a meio, parece já nos apontar alguns sinais, muito ténues é certo, da primavera.

Calma! Dê-se tempo ao tempo!” -  Dizem os mais avisados.

É verdade que sim. Mas, os dias sombrios, que teimosamente tanto se prolongam, já nos fazem ansiar por outra cor e outra luz.

 

Nuno Espinal

 


comentários recentes
Caro Sr. Avelar: obrigado pelo seu comentário. Apr...
As nossas condolências para a família toda.Frenk e...
" Ser Poeta ė ser mais alto...(Florbela Espanca)Qu...
Caro Nuno: Gostei muito. Aliás não esperava outra ...
Demasiado jovem para partir.Que descanse em paz.
Sentidos pêsames a toda a família. Muita força e c...
Boa tarde. Qual é o valor em ml de 2/5 de azeite?
Muito bem! Gostei. Contudo falta referir muitos pe...
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Fevereiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9

15

24
27



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds