publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 09 Dezembro , 2009, 10:46

As actuações da Flor do Alva, nesta quadra do ano, é habitual serem caseiras. E este ano, cumprindo uma já tradição, a nossa Filarmónica irá actuar para os vilacovenses num concerto em data ainda a marcar. Além disso, os jovens da Flor do Alva dedicarão algumas  das suas “tocatas” aos seus conterrâneos mais idosos do Centro de Dia, num almoço convívio que está marcado para o próximo dia 19.

Mas, a quadra de Natal de 2009 para a Flor do Alva este ano é mais do que caseira. Dia 12, a juventude da nossa banda lá estará a actuar na grande festa do Rádio Clube de Arganil. E já ontem, dia 8 (feriado) a Filarmónica encheu de música a simpática aldeia de Penalva do Alva.

Sobre este desempenho, as palavras que o Fábio Leitão me enviou “via mail” são elucidativas. E mais: são de nos abarrotar o ego: Vejam só:

“Em Penalva de Alva, concelho de Oliveira do Hospital, a Flor do Alva apresentou-se com muitas novidades, as quais, está provado, muito valorizam a qualidade musical da nossa Filarmónica. E a nossa prestação foi tão do agrado geral que, quando abandonámos o recinto de festas, o povo nos tributou uma grande ovação e o mordomo responsável das festividades não parava de dizer: Até para o ano…”

Então que tal, amigos vilacovenses. Não é de ficarmos todos inchados?

 

Nuno Espinal

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 08 Dezembro , 2009, 10:44

Coja integra-se no quotidiano de muitos vilacovenses.

Seja por razões de profissão, seja por necessidade de compras, por questões ligadas à saúde, seja pela esplanada, pelo prazer do café ou da procura de um jornal.

Nesta vivência, acontecimentos em Coja não serão alheios a esses vilacovenses.

Veja -se o caso das iluminações de Natal.

Vou-as registando em fotografia.

Um jovem vilacovense vê-me e acerca-se.

-Então, está a gostar?

-Acho que sim pá, está porreiro, respondo-lhe.

Mais um flash, um compasso de espera e de novo ele…

-Eu também gosto. Sabe? Se estamos no natal temos que curtir o natal. Isto assim põe-nos mais “in”!…

 

 

Nuno Espinal

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 07 Dezembro , 2009, 16:00

Na sequência de uma queda, da qual resultou uma fractura do fémur, foi transportado ontem, dia 6, para os Hospitais da Universidade de Coimbra, o Sr. Diamantino Santos Simões, utente dos serviços de Centro de Dia desta Santa Casa de Misericórdia.

Sabemos, entretanto, que o Sr. Diamantino (Tino) foi ainda ontem sujeito, por esse motivo, a uma intervenção cirúrgica e que vai continuar internado nos serviços daquela unidade hospitalar em recuperação.

A Santa Casa vai continuar a acompanhar a situação clínica do Sr. Diamantino, na expectativa de que o seu estado de saúde continue a evoluir favoravelmente.

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 07 Dezembro , 2009, 02:30

Pairavam muitas dúvidas entre os adeptos do Vilacovense quanto ao resultado do jogo. O Bobadela era o primeiro classificado, contando por vitórias todos os jogos disputados, e vinha credenciado como uma equipa muito forte. Só que o Vilacovense impôs, desde o início, o seu jogo, aproveitando o bom porte físico de muitos dos seus jogadores, num terreno pesado e difícil devido às fortes chuvadas que se fizeram sentir antes e durante a partida.

Mas, as adversidades climatéricas não impediram que o Vilacovense realizasse uma boa exibição, espraiando o seu jogo com bons apontamentos tácticos e técnicos, desferindo lances muito perigosos e com desmarcações em profundidade para a área adversária, aproveitando incursões pelas alas  e revelando uma vez mais uma defesa muito forte, quase intransponível.

Uma palavra para o guarda redes Paulo Henriques. Sempre muito seguro, com uma excelente percepção dos tempos de saída e uma defesa excepcional, que impediu, na altura, o tempo de igualdade do Bobadela.

 

Em resumo, uma exibição de encher o olho aos adeptos da equipa de Vila Cova, a confirmar que o Vilacovense é um sério candidato à vitória na série.

 

Constituição da equipa:

 

Guarda-Redes: Paulo Henriques;

Defesas: Kikas, António Cruz, Brito e Marco;

Médios: Sérgio Gaspar, (Fábio Leitão aos 70 minutos)Marco Paulo, (Hugo Ferreira aos 60 minutos)Wilson (Bruno Santos aos 75 minutos) e Paulo Sérgio;

Avançados: Bruno Carvalho, Mota (Dames Chissoco aos 50 minutos)

 

Suplente não utilizado: Paulo Ribeiro.

 

Marcaram os golos: Sérgio Gaspar aos 2 minutos, Mota aos 32 minutos e Chissoco aos 75 minutos.

 

Massagista: Fernando figueiredo

 

Treinador Wilson Saraiva

 

No próximo domingo há um derby local, pois o Vilacovense desloca-se a Lourosa para defrontar a equipa local as 15 horas.

 

 

Nuno Espinal/Fábio Leitão

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 06 Dezembro , 2009, 17:39

Crónica do jogo mais tarde


publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 06 Dezembro , 2009, 10:01

Sou pela “Tradição”, até no que ela releva de valores, dos quais, em meu juízo, bem carecidos andamos. Mas, não descuro quanto sou marcado e quero ser marcado pela Evolução. Somos “Seres” eminentemente sociais e socializados levados no caudal imparável da Evolução.

As Tradições são históricas e, como tal, no caminhar dos tempos, são desfeitas ou refeitas ou retomadas por circunstâncias e factores contextualizados na infalibilidade da própria “Evolução”.

Vem isto a propósito de uma “roda de conversas” em que participei, em que um dos presentes, a páginas tantas, atalhou mais ou menos isto:  

“Um dos problemas dos governos é não terem na educação e nas escolas uma política de defesa e preservação da Tradição, a fim de ser realçada a nossa identidade e orgulho no nosso passado. /…/ Criávamos auto estima e um outro élan para dar a volta que o país tanto precisa.   

A conversa continuou e a talho de foice vieram à baila festarolas e bailaricos antigos. E o mesmo continuou a sua tese do “mais do mesmo”:

“Vejam só as festas actuais nas aldeias. O chinfrim horrível da música pimba. /…/ Deviam haver incentivos para as festas à moda antiga e penalizações para os actuais despropósitos”.

Nesta altura, perante tanta parvoeira, resolvi desligar os meus próprios auscultadores anatómicos.

Mais tarde, já em reflexão solitária e auto ironia, cogitei este cenário:

A festa de S. João em Vila Cova e, correspondendo ao programa de festas, um bailarico na Praça, com um tocador de gaita de beiços e a minha boa gente a bailar ao som de:

“O mar enrola na areia

Ninguém sabe o que ele diz.

Bate na areia e desmaia…

Um casamento feliz”

 

Quanto a auto-estima não subiria!

 

 

Nuno Espinal

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 05 Dezembro , 2009, 12:04

Acontece com tudo. Aos poucos cansamo-nos, cansamo-nos por habituação, cansamo-nos do que se repete, cansamo-nos do antigo.

Nietzsche dizia que o uso, mesmo o mero uso de contemplar uma paisagem, nos dava como que a posse dessa paisagem. E que geralmente o impacto de uma posse se reduzia com o uso.

Mas, haja quem me explique o porquê. Esta paisagem, que se avista do sítio das “alminhas”, já à entrada de Vila Cova, vejo-a todos os dias, uma, duas, mais vezes, e admiro-a, admiro-a sempre como se a primeira vez a visse.

Será que … talvez … porque me é impossível abarcar-lhe a posse?  De facto, é grande e fantástica de mais para tal.

 

Nuno Espinal

 

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 04 Dezembro , 2009, 10:36

Tuna de Cantares de Coja

 

 

Notícia retirada do Portal “Princesa do Alva”

 

“Nos próximos dias 5, 6, 7 e 8 de Dezembro, vai ter lugar em Coja, mais uma edição da Feira de Artesanato, Velharias e Antiguidades [FAVA]. O evento decorre no pavilhão Gimnodesportivo da Casa do Povo e conta com o seguinte programa:

Sábado

21h00 Rancho Folclórico das Rosas de Coja
22h00 Grupo de Cordas e Cantares de Coimbra
Domingo

16h00 Passagem de modelos
17h30 Rancho “Camponesas do Alva”, de Avô
18h00 Grupo Coj’a’Animar
21h00 Tuna de Cantares de Coja
22h00 Orquestra da Arrifana
Segunda-feira

21h00 Grupo de Música Popular de Poiares
22h00 Grupo Cantares do Alva e Açor
23h00 Tuna da Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra
Terça-feira

15h30 Filarmónica “Pátria Nova”, de Coja
16h00 Grupo de Cantares da Associação Cultural e Recreativa do Zambujal
20h30 Tuna de Meruge.”

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 04 Dezembro , 2009, 09:38

Arganil/Natal/2009

 

"O amor é fome de outra vida, desejo de transitar. Quando dois amantes se abraçam e beijam entredevoram-se, morrem um no outro, de algum modo, e transitam para outro ser. A vida não pode ficar em nós, a repetir-se, que repetir é estar parado, é ocupar o mesmo lugar."

 

Aforismo de Teixeira de Pascoais

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 03 Dezembro , 2009, 10:45

Alguns, dos mais novos, poderão nem saber quem foi o Dr. Júlio Gouveia. Falecido há mais de vinte anos, nos últimos tempos de vida já nem vinha à sua terra natal, Vila Cova, porque a saúde e peso da idade não lho permitiam.

Contudo, o Dr. Júlio Gouveia continua a ser recordado por muitos vilacovenses, apesar de ter sido em Lavos (Figueira da Foz) que viveu a maior parte da sua vida.

E é precisamente de um grupo de lavenses que nasceu a ideia de lhe ser prestada uma homenagem, em que se pretende comemorar as suas qualidades de homem e de médico. A sua memória irá ser, pois, evocada, com a justa evidencia dos seus dotes e méritos enquanto cirurgião e médico, com o destaque da sua entrega profissional desinteressada aos figueirenses (e lavenses em especial), reveladora de um grande humanismo.

O Miradouro teve conhecimento de que do programa consta uma romagem ao cemitério de Vila Cova, onde o Dr. Júlio Gouveia está enterrado, e que está marcada para o dia 27de Fevereiro.

Em Vila Cova este prestigiado vilacovense é muitas vezes recordado por um gesto que lhe era típico na noite de consoada. Oferecia bacalhau, quanto bastasse, que era cozido no cepo que ardia na Praça e bem saboreado por todos aqueles que aderiam ao convívio muito especial daquela noite, logo após a Missa do Galo.

Ficamos a aguardar mais informações da comissão organizadora desta homenagem, à qual pertence a afilhada do Dr. Júlio Gouveia, Srª Dª Luísa Jordão. 

 

Nuno Espinal

 

Na foto o Dr. Júlio Gouveia surge com sua esposa, também já falecida, Dª Maria José Loureiro Gouveia pousando com a então noiva Drª Manuela Cruz. Uma cena entre muitas que o Dr. Júlio viveu na sua Vila Cova, sua terra natal, que permanentemente visitava, sempre acompanhado da esposa e da afilhada, Dª Luísa Jordão.

 


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Dezembro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

16
19




pesquisar neste blog
 
subscrever feeds