publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 05 Dezembro , 2009, 12:04

Acontece com tudo. Aos poucos cansamo-nos, cansamo-nos por habituação, cansamo-nos do que se repete, cansamo-nos do antigo.

Nietzsche dizia que o uso, mesmo o mero uso de contemplar uma paisagem, nos dava como que a posse dessa paisagem. E que geralmente o impacto de uma posse se reduzia com o uso.

Mas, haja quem me explique o porquê. Esta paisagem, que se avista do sítio das “alminhas”, já à entrada de Vila Cova, vejo-a todos os dias, uma, duas, mais vezes, e admiro-a, admiro-a sempre como se a primeira vez a visse.

Será que … talvez … porque me é impossível abarcar-lhe a posse?  De facto, é grande e fantástica de mais para tal.

 

Nuno Espinal

 

 

 

 


comentários recentes
As nossas condolências para a família toda.Frenk e...
" Ser Poeta ė ser mais alto...(Florbela Espanca)Qu...
Caro Nuno: Gostei muito. Aliás não esperava outra ...
Demasiado jovem para partir.Que descanse em paz.
Sentidos pêsames a toda a família. Muita força e c...
Boa tarde. Qual é o valor em ml de 2/5 de azeite?
Muito bem! Gostei. Contudo falta referir muitos pe...
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
Dezembro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

16
19




pesquisar neste blog
 
subscrever feeds