publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 21 Outubro , 2009, 12:56

Atrai-me este cinzento de Outono. O preto e branco das coisas e, por sinestesia, um transporte ao passado, a recordações, a muitas memórias e sentimentos.

De quando em quando uma nesga de sol, como um belisque, que me acorda desta letargia, desta apatia, assumo mesmo, piegas.

Mas, que fazer? Não há volta a dar. De quando em quando é assim.

E lá está,  neste reviver o passado, corre a década de cinquenta, um grupo de homens à Meda e as grossas bátegas a contrariá-los nas suas idas à fazenda.

E lá em baixo o Alva, a engrossar o caudal, de águas purinhas, purinhas…

Nesses tempos era assim.

 

Nuno Espinal

 


comentários recentes
Caro Sr. Avelar: obrigado pelo seu comentário. Apr...
As nossas condolências para a família toda.Frenk e...
" Ser Poeta ė ser mais alto...(Florbela Espanca)Qu...
Caro Nuno: Gostei muito. Aliás não esperava outra ...
Demasiado jovem para partir.Que descanse em paz.
Sentidos pêsames a toda a família. Muita força e c...
Boa tarde. Qual é o valor em ml de 2/5 de azeite?
Muito bem! Gostei. Contudo falta referir muitos pe...
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Outubro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10





pesquisar neste blog
 
subscrever feeds