publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 21 Outubro , 2009, 12:56

Atrai-me este cinzento de Outono. O preto e branco das coisas e, por sinestesia, um transporte ao passado, a recordações, a muitas memórias e sentimentos.

De quando em quando uma nesga de sol, como um belisque, que me acorda desta letargia, desta apatia, assumo mesmo, piegas.

Mas, que fazer? Não há volta a dar. De quando em quando é assim.

E lá está,  neste reviver o passado, corre a década de cinquenta, um grupo de homens à Meda e as grossas bátegas a contrariá-los nas suas idas à fazenda.

E lá em baixo o Alva, a engrossar o caudal, de águas purinhas, purinhas…

Nesses tempos era assim.

 

Nuno Espinal

 


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Outubro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10





pesquisar neste blog
 
subscrever feeds