publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 13 Julho , 2009, 02:03

Casou a minha sobrinha Vera, filha do meu irmão Quim. Um casamento que, nos dias de hoje, se caracterizará como original, pela ausência do estilo faustoso e sumptuoso que, nos tempos que correm, é moda e regra. Sem pompa, em tudo simples, celebrado ao ar livre, trajes informais, em ambiente de proximidade e cumplicidade.   

Lá convivemos, velhos amigos do grupo da “Malta”. Eu, meu irmão Quim, o nosso primo Jorge Augusto Figueiredo Dias e o velho amigo de sempre António Gabriel de Almeida (Toneca). E é inevitável. Quando nos encontramos Vila Cova é sempre tema. E entre os goles de um tinto caseiro, no gosto aparentado aos tintos antigos que jorravam dos pipos de Vila Cova e os deleites das iguarias que o menu disponibilizava, um sentimento comum, um desejo pelos quatro manifestado. Quanto não seria bem-vinda uma boa fatia do nosso Bucho, o Bucho de Vila Cova!

Ah, esta Vila Cova e a força de um passado que tanto nos toca!

 

Nuno Espinal

 


comentários recentes
Mais um homem bom que nos deixa. Há tempo que não ...
A perda de um amigo e a amigo da minha família, de...
Publiquei um comentário sobre o meu tio Zé, não ch...
Tio Zé Torda , descanse em paz e que DEUS o pon...
Tio Zé Torda, descanse em paz e que Deus o ponh...
Caro Dr. NunoFoi sem dúvida uma tarde e uma noite...
Sinceros sentimentos pelo falecimento do Tó Man...
Não foi de Covid
DISTÂNCIA/SEPARATISMO DOS PARASITAS-HORRORIZADOS c...
Foi de Covid-19?
Julho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11





pesquisar neste blog
 
subscrever feeds