publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 20 Junho , 2009, 11:03

 

Estou em Coja, em bicha de super mercado, outros mais em espera. Há quem fale do tempo, a conversa surge espontânea.
Diz uma senhora, cabelos brancos, bem brancos, da idade: - Quem me dera o tempo de antigamente…a gente sabia com o que podia contar. Estamos no verão, tanto faz este calorão hoje, como amanhã é capaz de chover e fazer frio. Isto dá cabo da pessoa!
Ainda na semana passada acendi a lareira! -  Diz um cavalheiro.
Surge uma jovem: - A culpa é deles. Dão cabo da Natureza, do ambiente…temos de nos informar, de nos esclarecer para poder intervir.
Todos aquiescem, sente-se que a “causa” é de militância a que ninguém se furtará.
 
À noite, dirijo-me à sala da biblioteca local, para uma sessão em que se falará na defesa da natureza, na conservação dos habitats naturais das fauna e flora no concelho.
Presenças na sala: conferencista, gente, meia dúzia, do apoio técnico, duas jornalistas, em cobertura ao acontecimento, vereador da cultura e esposa e… eu. Cadeiras, muitas, vazias.
Alguém compreende?!...
 
 
Nuno Espinal

 


comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Junho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9



29


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds