publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 21 Outubro , 2008, 23:28

 

Dos vários comentários, entre as muitas conversas que testemunhei, no rescaldo do III Capítulo, um há que retive porque sintetiza, no que me pode parecer, a apreciação global do que se passou em Vila Cova.
 
Dizia alguém: “escolher um local que tenha o carisma de Vila Cova para o próximo Capítulo não vai ser tarefa fácil. Correu tudo tão bem que a fasquia ficou muito alta”.
 
Houve, de facto, uma boa organização, com tudo pensado ao pormenor. Mas, se esta vertente foi um dos méritos dos organizadores, a principal razão do êxito conseguido estará na grandeza dos monumentos de Vila Cova e na beleza natural da terra. Dizia o Jornal de Arganil, em título: Confraria obriga pessoas a olharem para património vilacovense.
Foi este o grande propósito dos organizadores do Capítulo, ou seja, o enfoque nestas preciosidades que são os monumentos e no pitoresco da vila, referidas, pelo Presidente da Câmara como “jóias” do concelho. Os cortejos dos confrades ligaram propositadamente Igreja Matriz, Misericórdia, Pelourinho, Igreja do Convento e Senhora da Graça. Num tão pequeno espaço é surpreendente a grandeza de tanta história. Há no entanto que dar à “história” a dignidade que nos deve merecer. A degradação dos monumentos requer acções urgentes. Talvez que a visibilidade a que Vila Cova esteve exposta, neste III Capítulo, possa vir a ser um ponto de partida. A ver vamos, o que nos vai reservar o futuro. Ainda que o futuro, o da recuperação e requalificação do património de Vila Cova, também sejamos nós, vilacovenses, que o tenhamos de construir.
 
 
 
Nuno Espinal   
 
 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 21 Outubro , 2008, 00:26

 

 
Contra a evidência dos números (neste caso golos) pouco há acrescentar. Apenas que o Vilacovense promete e está já a criar naturais expectativas junto dos seus adeptos, até porque tem evidenciado um futebol de qualidade, com jogadas bem delineadas e pontaria bem afinada.
 
Neste jogo, a constituição da equipa foi a seguinte:
 
Guarda-Redes: Paulo;
Defesas: Fábio Leitão, Bruno Brito, Kikas e Fábio Gaspar;
Médios: Hugo, Marco Paulo, Bruno Carvalho (cap.) e Sérgio;
Avançados: Mota e Marco António
 
Substituições: Hugo por Wilson (45 min.), Mota por Rui Madeira (60 min.) Fábio Leitão por Fernando e Sérgio por David (70 min.) e Fábio Gaspar por Bruno (75 min.).
 
Suplente não utilizado: António Antunes;
 
Os golos do Vilacovense foram apontados aos 5 min. e aos 50 por Marco António, aos 40 e aos 75 min. por Bruno Carvalho e aos 65 min. por Wilson. O golo do Vilela foi marcado aos 40 min., através de uma grande penalidade.
 
Treinador: Rui Madeira
 
Directores Presentes: José Nobre; Carlos Antunes; António Leal
 
 O próximo jogo vai ser disputado no Domingo, em Vila Cova de Alva, pelas 15 horas, contra a equipa de Aldeia das Dez.
 
 
Nuno Espinal/Fábio Leitão

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Outubro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9


22

27
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds