publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 07 Setembro , 2008, 00:45

Em termos de tempo, entre estas duas fotografias, a distância até é curta. Mas indague-se a situação em que se encontrava a Flor do Alva ao tempo de uma das fotos e a situação em que se encontra hoje e constatar-se-á quão grande é a distância. 

Hoje a Flor do Alva respira vitalidade, dinamismo, juventude. Antes chegou mesmo a perspectivar-se o seu termo.
Para que o êxito da actual Flor do Alva seja um facto, todos são unânimes em considerar o empenhamento de directores jovens que desde Março de 2006 lhe tomaram as “rédeas”. Gente nova, decidida, empreendedora, gente que acreditou e acabou por vencer: José Raimundo (Presidente), José Santos, Fábio Leitão e Luís Mota. Ente eles, contudo, um menos jovem, bem mais maduro, a fazer a ponte com o passado, o passado mais próximo: José Caetano.   
E ainda bem. A vida é composta por altos e baixos, momentos melhores, momentos menos bons. E os que nas adversidades as souberam suportar devem ser dignos do nosso maior respeito.
 
Nuno Espinal
 
 

comentários recentes
Sinceros sentimentos pelo falecimento do Tó Man...
Não foi de Covid
DISTÂNCIA/SEPARATISMO DOS PARASITAS-HORRORIZADOS c...
Foi de Covid-19?
Caro Sr. Avelar: obrigado pelo seu comentário. Apr...
As nossas condolências para a família toda.Frenk e...
" Ser Poeta ė ser mais alto...(Florbela Espanca)Qu...
Caro Nuno: Gostei muito. Aliás não esperava outra ...
Demasiado jovem para partir.Que descanse em paz.
Sentidos pêsames a toda a família. Muita força e c...
Setembro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9

16
18

27



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds