publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 29 Junho , 2008, 23:56

 

 

 

 

As fotografias não estão, de facto, grande coisa. Mas, são as únicas que temos sobre a participação dos músicos da Flor do Alva nas “Marchas Populares”, que ontem actuaram em Oliveira do Hospital. Dividiram-se, os nossos músicos, em dois grupos para apoiarem as marchas da Bobadela e de Lagares da Beira. Ao que sabemos, o júri não deu grande pontuação a estes dois grupos. Mas, a culpa não passa pelos nossos músicos. Porque, ao que sabemos ainda, os critérios de pontuação pouco ou quase nada incidiram sobre a qualidade instrumental das “bandas de apoio”. Se assim fosse, diz quem sabe, os grandes triunfadores da noite tinham sido os da “Flor do Alva”.  
 
 
 
Nuno Espinal/Fábio Leitão
 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 28 Junho , 2008, 23:43

 

 

O título está mesmo certo. Mas, não se assustem os vilacovenses e os fãs da Flor do Alva. É que a Flor do Alva está dividida sim, mas é só por esta noite. Vamos à explicação. Os músicos da nossa Filarmónica estão esta noite (Sábado) em Oliveira do Hospital para apoiarem instrumentalmente “marchas” de localidades daquele concelho. Metade dos nossos músicos está com a marcha da Bobadela e a outra metade com a marcha de Lagares da Beira.
O júri, como é costume dizer-se, será soberano e a ele vai competir a votação que decidirá a classificação das marchas. Mas, já agora aqui vai um nosso desejo: que na marcha vencedora estejam músicos da Flor do Alva. Ou melhor ainda: que nas duas marchas primeiras classificadas estejam os músicos da Flor do Alva.
 
 
Nuno Espinal/Fábio Leitão

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 27 Junho , 2008, 23:56

Apontamento retirado de uma "Comarca de Arganil" de Junho de 1927. O texto fala por si.

Outros eram os divertimentos e, por certo, muito maior era a alegria. Curiosa a referência aos descantes, modo de cantar em dueto, ao desafio e à desgarrada, talvez acompanhados à guitarra ou à concertina.

 

 

 

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 27 Junho , 2008, 19:52

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 26 Junho , 2008, 23:04

 

 

 

 

 

 

Noticiámos, há dias, o nascimento da Lara Mota. Mas faltava a foto que aguardávamos ansiosamente. Pois ela aí está. E em vez de uma logo duas. Que bom! A Lara é linda não acham?
Pois querida Lara aqui vai um beijinho muito grande da equipa do Miradouro. E que sejas muito feliz.
 
 
Notícia: Fábio Leitão

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 26 Junho , 2008, 17:15

 

O programa bem dizia: "Gabriel e as suas Bailarinas". Só que, na foto, do Gabriel népia. Será que não apareceu? Não, nada disso. Só que os olhinhos do fotógrafo do Miradouro, desde que a Sara e a Denise entraram em palco, foi o que se viu…colaram-se-lhes até ao fim.  
Amigo fotógrafo, a avaliar pelo produto, quem não te dá razão?
 
Notícia: Fábio Leitão

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 26 Junho , 2008, 00:10

 

 

Os Nossos Amigos do Centro de Dia
 
 
Recusaram o piquenique na Capela do Alqueidão, resguardando-se nos toldos que sempre minimizaram o calor abrasador do dia. E afinal, irem à Capela para quê? Seriam os únicos ou quase os únicos e este vazio faz-lhes muita pena.
 
Antigamente…olha antigamente! Aquilo é que era festa, este dia do piquenique…jogos, diversão, a Música, foguetes e mais foguetes em pirraça aos do Barril, e gente, muita gente…
Não, vale mais ficarmo-nos por aqui. Ir lá acima? Para quê?
 
Pois é! O peso da idade a fazer negaças ao peso da tradição…
E não só!
 
 
Nuno Espinal
 
 
 

 

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 26 Junho , 2008, 00:05

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 25 Junho , 2008, 22:28

 

 
Ausente de Vila Cova, vou, contudo, recebendo diariamente notícias do que por lá se passa. O tema dominante destes dias é, naturalmente, a Festa de S. João. E o que invariavelmente me chega, em tom de desabafo e alguma tristeza, é que a Festa está muito longe de ser o que já foi. Não é que não haja total empenho e dedicação por parte dos seus organizadores. Entregam-se o mais que podem e são moiros de trabalho. O problema é a falta de gente, falta de participantes nas várias manifestações festivas. A questão já nem é de agora. Ano a ano a “terra” perde população, a população vai envelhecendo, sendo que os mais idosos, e vão sendo muitos, debilitados que estão, se abstêm de tudo o que é programa das festas. Depois há a questão própria do calendário. Festa, em dia de trabalho, é certo e sabido que parte dos vilacovenses não pode comparecer. De fora, de outras terras, por esta mesma razão, nem viv’alma. Por tudo isto a Festa, em dia dos chamados úteis, perde chama, perde cor, perde alegria.
Assim sendo, que fazer?
Pelo significado que tem, pelo que de tradição representa, a Festa de S. João nunca poderá morrer. E nunca vai morrer. A força e determinação dos actuais mordomos é garantia da sua continuidade. O que é preciso que aconteça é ter de ser repensada, planeada noutros moldes. Uma Festa mais íntima, mais caseira, que motive todo o universo da população. E explodi-la sempre que o dia de S. João calhe a um Sábado ou a um Domingo.
 
 
Nuno Espinal
 
 
 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 24 Junho , 2008, 23:25

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


comentários recentes
Parabéns à Flor do Alva pelo centenário que acaba ...
Visão esclarecida e preocupada de um preclaro cida...
parabéns Dª Lucília silva tudo de bom
também para si um bom ano novo senhor Nuno Espinal...
Obrigado, um bom ano também para si, Um grande abr...
Partilho, caro Espinal. Um bom ano, amigo
Na minha aldeia - Torroselo -, o leilão de oferend...
Parabéns! Bjs
os meus sentimentos a família
É COM SINCERA TRISTEZA E DESOLAÇÃO QUE VEJO, TAMBÉ...
Junho 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9


23

30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds