publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 19 Maio , 2008, 01:59

 

A chuva parecia estragar, senão tudo, quase tudo. Já de manhã, por força de uma forte chuvarada, a procissão foi cancelada. Era, desde logo, um acontecimento muito negativo e que entristeceu muitos vilacovenses. Veio a seguir o encontro, na zona do Barranco, das duas Filarmónicas, “Flor do Alva” e “Barrilense” e do Rancho “As Flores” de Casal de S. João. Saudaram-se os grupos e seguiram em desfile até às Tílias. A chuva, essa, quis ao desfile dar tréguas. E ainda bem porque as peças em conjunto tocadas pelas duas bandas nos desfile e exibição nas Tílias foi monumental. O ineditismo da fusão ocasional das duas representantes musicais de Vila Cova e do Barril foi saudado com entusiasmo pelos vilacovenses presentes no local.
Depois veio a segunda contrariedade do dia. As nuvens continuamente ameaçadoras e o terreiro da Santa Casa completamente encharcado, onde era suposto ser degustado o “porco no espeto” e desenrolarem-se os festejos, obrigaram a que tudo se tivesse de realizar no espaço do Salão da Casa do Povo. Mas os organizadores dos festejos, a Direcção da Santa Casa, tinha tudo previsto. E a alternativa tinha sido devidamente programada. Tudo funcionou a contento, com uma boa organização na refeição volante servida e com os protagonistas do espectáculo a darem o melhor de si e a entusiasmarem os muitos vilacovenses presentes no Salão da Casa do Povo.
A Flor do Alva, nas peças musicais que apresentou, está cada vez melhor. A Filarmónica Barrilense exibiu-se a um nível de grande qualidade, com uma excelente exibição a solo do seu Maestro em tuba e a interpretar trechos de música clássica. Os barrilenses têm nos metais um dos seus pontos fortes, sendo de salientar um trompete solista e os instrumentistas de tuba. 
O Rancho “As Flores de Casal de S. João” foi um verdadeiro espectáculo. Apresentou peças do cancioneiro da região e encantou. Terminou com um “bailo” que não dispensou a colaboração de muitos dos espectadores presentes.
Acabou por ser em “grande” a festa de Santa Cruz, mau grado o cancelamento da Procissão. A Festa da Amizade, tal como Nuno Espinal, Provedor da Santa Casa, a apelidou, na sua intervenção, foi de facto uma verdadeira jornada de confraternização. Talvez, quem sabe, a abrir uma era de maior proximidade e colaboração nas relações entre povoações vizinhas.
As várias intervenções, dos convidados presentes, sublinharam precisamente esse aspecto, ou seja a importância das colaborações entre os povos e instiuições do concelho.
De entre os convidados que estiveram no Salão da Casa do Povo há a destacar o Vice Presidente da Câmara, Dr. Avelino Pedroso, os presidentes de Junta de Freguesia de Vila Cova e do Barril, respectivamente Sr Alfredo Lourenço e Sr. Rogério Leal e os Presidentes de Direcção da Flor do Alva, Sr. José Raimundo, da Filarmónia Barrilense, Sr. Guilherme e do Rancho das Flores, Sr. Arménio Santos. 
 
 
 
 
Margarida Figueiredo escreveu o texto
Nuno Espinal e Catarina Tavares registaram as imagens
 
 
 
 

comentários recentes
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
Maio 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





pesquisar neste blog
 
subscrever feeds