publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 05 Abril , 2008, 23:32

 

É caso para dizer que, em Vila Cova, tal como dizem os brasileiros, a festa vai rolar. E vai mesmo rolar por três vezes e isto num período de tempo que nem sequer chega a um mês.
Tudo começa com o aniversário da Flor do Alva, comemorado no próximo dia 20, com um almoço convívio e um concerto da Filarmónica na parte da tarde. Depois, logo a seguir, a 25 de Abril, uma nova confraternização, no terreiro da Santa Casa, concretizando uma iniciativa de um grupo de jovens vilacovenses, com um cunho essencialmente gastronómico, ligado a toda a tradição da matança do porco.  Por fim, a 18 de Maio, a já anunciada Festa de Santa Cruz, cumprida religiosamente de manhã e com Festa da parte da tarde, com a exibição das Filarmónicas de Vila Cova e do Barril e do Rancho Folclórico “As Flores” de Casal e S. João.
 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 05 Abril , 2008, 15:32

Vamos passar em desfile links que temos anunciados na nossa página. Visitá-los é uma forma de adquirirmos mais e melhores conhecimentos sobre a nossa região, em especial sobre o concelho de Arganil.

Hoje elegemos como principal sugestão o "Arganil.Eu".

www.arganil.eu

 

Esta página surge a partir de conversas entre antigos alunos da Escola Secundária de Arganil. Com o crescimento da utilização da internet, é este um meio de excelência para fomentar o reencontro de velhas amizades. Tem uma secção de noticias regionais, dos ultimos posts dos blogs da região, e um forum para que o reencontro se torne possível.

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 05 Abril , 2008, 07:49
Foi uma breve conversa. Mas, ainda assim, foi possível perceber, no entusiasmo com que fala, certas características que serão, seguramente, mais valias da sua atitude enquanto dirigente do Vilacovense: determinação, dedicação e crença.
Carlos Antunes, actual Vice Presidente, com quarenta e quatro anos de idade, casado, uma filha e carpinteiro de profissão é, há já alguns anos, uma das traves mestras em que se alicerça o funcionamento do Grupo Desportivo Vilacovense.
 
“Tem que haver muita paixão,” diz-nos. “Para isto andar é preciso entrega, disponibilidade e trabalho. E por vezes até sacrifício, abdicar, por exemplo, ao fim de semana do convívio familiar ou do descanso que o corpo pede. Mas, claro, há compensações. A realização pessoal, a convicção de nos sabermos úteis para Vila Cova, o convívio que se proporciona, o sabor dos êxitos desportivos…e tudo isto não deixa de ser muito importante.”
 
Retemo-nos nos êxitos desportivos, que nos últimos anos têm sido alguns. Na época transacta, por exemplo, o Vilacovense trouxe uma Taça para Vila Cova, depois de uma vitória num torneio disputado em Coja. Este ano o segundo lugar na fase já disputada do Campeonato do Inatel, que permite passar à fase seguinte e o apuramento para os quartos de final da Taça do Inatel, depois de ter eliminado o Paradela.
 
“Temos tido bons jogadores e este ano até nos podemos orgulhar de metade da equipa ser gente de Vila Cova. Mas temos a maior simpatia e carinho pelos jovens que vêm de outras terras, sejam eles do Pisão, de Pomares, de Lagos da Beira, da Digueifel, da Esculca ou da Senhora dsa Almas, como acontece este ano. Às vezes estes jogadores até trazem pessoal das suas terras aos nossos jogos, o que aumenta o convívio e as receitas no bar.”
 
Este pragmatismo tem toda a razão de ser. O magro orçamento implica ginástica e exercício contabilístico de modo a concretizar, em cada ano, um saldo positivo, ainda que mínimo.
 
“A quotização dos sócios, cerca de 250 a pagarem 5 euros por ano, não dá para muito. Vale-nos o subsídio da Câmara, este ano de 2750 euros, as receitas do bar e os donativos de amigos. As despesas são inevitáveis, como a manutenção do campo, electricidade, gás, equipamentos, e o habitual lanche nos fins de jogos para estimular espírito de grupo do pessoal. Feitas as contas, nos dois últimos anos conseguimos um saldo de 2700 euros, ainda que agora tenhamos de ter em conta as obras do novo bar.”
 
E o futuro do nosso Vilacovense, Sr. Carlos Antunes, quais são as suas perspectivas para o Grupo Desportivo?
 
“Quanto mais não seja, que seja tão bom como o presente. E o presente é este: temos uma embaixada que Domingo a Domingo sabe representar condignamente o emblema da nossa terra, leva o nome de Vila Cova a outras terras, com um grupo de rapazes que comportamentalmente são um exemplo de educação e atitude desportiva. Depois há um outro aspecto social a considerar. O Grupo Desportivo agrega, ao seu redor, pessoas, proporciona-lhes o convívio e momentos de boa disposição. Basta isto para o Vilacovense valer a pena.”
 
 
Nuno Espinal

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Abril 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9

18


28


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds