publicado por Miradouro de Vila Cova | Terça-feira, 12 Fevereiro , 2008, 23:45

 

Antigamente era assim...
As chamadas “famílias alargadas” eram constituídas por avós, filhos e netos, com várias gerações a coabitarem a mesma casa.
 
Contudo, ao longo das últimas décadas tudo se foi alterando e a “família” foi sofrendo grandes modificações ao nível da sua estrutura. Da “família alargada”, que privilegiava a solidariedade entre gerações, tudo se encaminhou para a “família nuclear” para o espaço reduzido a duas gerações, deste modo limitado a pais e filhos, com os aspectos mais negativos a atingirem os idosos.
 
Noutros tempos a saída dos filhos de casa não os desresponsabilizava dos cuidados e apoios a prestar a pais e avós, no envelhecimento, na doença e em outras necessidades.
 
Hoje quase toda a responsabilidade passou para o Estado e Instituições de Solidariedade Social. Afinal, uma realidade que é uma evidência por todo o país.
 
Claro, a Sociedade adequa-se, organiza-se de acordo com as mudanças, com as circunstâncias. O modelo de solidariedade social que vigora acaba por ser isso mesmo, uma adequação à actual estrutura da comunidade.
 
Mas, ainda assim somos tentados a deixar esta pergunta. Que seria dos mais idosos e de outros cidadãos com autonomia mais fragilizada sem o apoio de Instituições de Solidariedade Social, tais como a Santa Casa de Misericórdia de Vila Cova?
 
A resposta é óbvia, uma verdadeira tragédia.
 
Ora, perante a consciência do valor e importância para a comunidade das Instituições de Solidariedade Social é compreensível o carinho e apoio que recebem das comunidades e das populações. A Santa Casa de Misericórdia de Vila Cova desse sentimento tem provas.
E esses apoios e carinhos que nos chegam revertem, na totalidade, para todos aqueles que da Instituição precisam.
 
Ora é a esse apoio que vimos apelar uma vez mais. E como? Através do IRS.
 
Desde 2001 que é possível direccionar para Instituições Religiosas e Instituições de Solidariedade Social 0,5% do IRS que pagamos ao Estado. Basta para tanto que coloquemos o Número de Identificação de Pessoa Colectiva da organização que pretendemos auxiliar no Anexo H da declaração do IRS.
Mas, atenção: esses 0,5% que são retirados do IRS pago ao Estado (o que fica para o Estado depois das devoluções de IRS), não tem qualquer custo para o contribuinte.

É aqui que apelamos ao seu apoio. Eleja a Santa Casa da Misericórdia de Vila Cova de Alva como a Instituição que vai apoiar, com 0,5% do montante do seu IRS já pago ao Estado. O seu bolso nada perde. Mas a sua consciência ganha e muito.
 
Número de Identificação de Pessoa Colectiva da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Vila Cova de Alva: 502 366 150.
 
 
 
 
Nuno Espinal

 

 

 


comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Fevereiro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9


20

25
28


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds