publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 31 Dezembro , 2007, 23:13

 

Ano Novo
 
 
Vai-se esgotando a taça do festim.
Sorvo a sorvo, no espelho do cristal
Fica apenas a baba natural,
O melaço do fim.
 
                                                   Ah, não haver coragem verdadeira
                                                   De se quebrar o copo antes da hora
                                                     Em que se acaba o vinho, e a bebedeira
                                               de repente melhora!
 
 
 
                                        Miguel Torga

publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 30 Dezembro , 2007, 21:48

 

O tempo ameno perspectivava um jogo com boa assistência, o que se confirmou. E se, neste caso, a lógica funcionou, já esta mesma lógica nada veio a querer com o resultado do jogo, dado que à superioridade do Vilacovense não correspondeu a vitória que a verdade em campo justificava.
Mas, o futebol é isto mesmo, já que nem sempre a sorte acompanha os que mais merecem o triunfo. O Grupo Desportivo Vilacovense  foi de facto superior ao longo de toda a partida. E foi em absoluto contra a corrente do jogo que os visitantes abriram o marcador, decorriam cerca de vinte minutos do jogo, na sequência do primeiro ataque feito à baliza de Paulo Henriques.
Valeria depois o golo de Marco António, iam contabilizados 60 minutos, para ao menos os da casa poderem afastar o peso da derrota, fardo que seria tremendamente injusto em função do que na realidade se passou nas quatro linhas.
 
A arbitragem não influiu no resultado, ainda que tenha provocado algum conflito com jogadores do Vilacovense (Gonçalo Lobo, Bruno Carvalho e Paulo Freire) já no final da partida.
 
Constituição da equipa:
 
Guarda-redes: Paulo Henriques
Defesas: Kikas, Bruno Brito, Paulo Freire e Sérgio
Médios: Marco Paulo ( já recuperado da lesão), António Cruz, Hugo Ferreira (substituído aos 55 minutos por Gonçalo Lobo) e Bruno Carvalho
Avançados: Marco Paulo e David
Suplentes não utilizados: Hélder Esculcas (já recuperado da lesão) e Bruno Santos.
 
Massagista: Fernando Fonseca
Directores Presentes: Carlos Antunes; António Leal e Luis Manuel
Treinador: José Manuel
 
Fábio Leitão está a cumprir dois jogos de penalização
 
O Vilacovense receberá no próximo dia  6 de Janeiro, no seu campo, o Lourosa, o que será o 1º jogo da 2ª volta. 
 
 
 
 
 
 
 
Nuno Espinal e Fábio Leitão (ficha do jogo).


 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 29 Dezembro , 2007, 21:12

In "Princesa do Alva"

A EP – Empresa Estradas de Portugal, SA, publicou no passado dia 26 de Dezembro, o anúncio de Consulta Pública relativo à Avaliação Ambiental Estratégica do Plano Rodoviário Nacional na Região Centro Interior. Recorde-se que em causa estão as três propostas de traçado apresentadas pelo Governo para a construção dos IC 6, IC 7 e IC 37, que, conforme determina a lei, vão estar sujeitos a um período de consulta pública e pelo prazo de 30 dias, a contar a partir de 31 de Dezembro.
A documentação relativa ao processo vai estar disponível, para os interessados, no sítio de Internet da EP – Estradas de Portugal, S.A, em
www.estradasdeportugal.pt

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sábado, 29 Dezembro , 2007, 20:34

 

Tínhamos previsto que a notícia da saída do Professor Rui Quaresma, de Regente da Flor do Alva, provocaria um forte impacto emocional nos músicos que integram a filarmónica.
Um “mail” que recebemos de Fábio Leitão, um dos executantes da filarmónica e também colaborador o “Miradouro”, comprova, de uma forma simples e muito autêntica, a comoção causada pela notícia. Eis o seu conteúdo:
 
Tudo bem? Não muito bem porque a noticia caiu mesmo que nem uma bomba. Acredite no fim do ensaio o professor Rui Quaresma e o presidente José Raimundo, quase sem palavras, não sabiam como explicar. Mas, lá deram a triste noticia, com olhos de chorar, o que acabou também por acontecer a vários executantes, alguns mesmo com as lágrimas a deslizar pelo rosto.
 
O professor pediu para realizarmos um concerto para a sua despedida de maestro da nossa filarmónica, ainda que tenha prometido voltar muitas vezes a Vila Cova e até com a expectativa de, quem sabe, um dia mais tarde poder regressar como regente.
 
O concerto será dia 6 de Janeiro na Casa do Povo de Vila Cova, pelas 20 H onde ele irá agradecer o carinho que tem pelas pessoas, e pela forma como sempre o acolheram.
 
A Direcção pede a todos que assistam a este concerto.
 
Abraço:
Fábio Leitão
 
Entretanto, a Direcção da Flor do Alva soube agir rapidamente, tendo já assegurado a regência da Filarmónica por um Maestro com formação no Conservatório de Música e que já dirigiu as Filarmónicas de Seia e da Loriga. Sabemos que se trata de um jovem de vinte e poucos anos, de nome Ricardo, com grandes dotes de regência musical e que perspectiva garantias de dar continuidade ao excelente trabalho que Rui Quaresma desenvolveu durante todo o tempo em que esteve à frente da Flor do Alva.
 
 
Nuno Espinal
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 28 Dezembro , 2007, 23:54

 

A notícia cairá que nem uma bomba na comunidade vilacovense, em especial nos músicos da Flor do Alva. Mas é uma verdade irreversível: O Professor Rui Quaresma, Maestro da Flor do Alva, vai ser forçado a deixar a regência da nossa Filarmónica, dado ter sido colocado em Sintra, no âmbito das suas funções docentes.
 
É um acontecimento que decerto provocará um grande impacto nos executantes da Flor do Alva, que tinham pelo seu “chefe” um grande carinho, admiração e respeito.
 
Mas, estamos em crer que a actual Direcção da Flor do Alva saberá resolver a situação e brevemente encontrará quem saiba, como regente musical, dar continuidade ao trabalho a que o Professor Rui Quaresma habituou todos os amantes da Filarmónica, em especial os seus próprios executantes.
 
 
Nuno Espinal
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 28 Dezembro , 2007, 22:20

 

Vários são os registos que referem a existência de Padres oriundos de Vila Cova. De resto, a religiosidade da vila é patenteada nos monumentos religiosos existentes e este elemento é por si só sugestivo a que muitos vilacovenses tenham abraçado a vida eclesiástica.
Este apontamento vem a propósito de dois documentos que atestam a ordenação dos dois últimos Padres nascidos em Vila Cova, ambos já falecidos: Padres Francisco Assis de Figueiredo e Álvaro Cardoso. Algumas foram as missas que celebraram em Vila Cova, incluindo as das suas ordenações, em homenagem evidente à terra onde nasceram.
 
 
 Nuno Espinal

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 27 Dezembro , 2007, 23:43

 

Alguns residentes do Bairro de São Sebastião entenderam que já é tempo de o seu Santo Padroeiro ser festejado. Daí que estejam a programar para o dia 28 de Janeiro, que obviamente já será de 2008, uma cerimónia de evocação do Santo.
O programa está a ser  ponderado e logo que dele tenhamos conhecimento daremos a devida publicidade no Miradouro.
Será, por certo, uma forma de S. Sebastião surgir à luz do dia e por alguns momentos deixar desocupado o lugar vitalício que ocupa na capela altaneira que justamente tem o seu nome.
 
 
Nuno Espinal

 

 


publicado por Miradouro de Vila Cova | Quinta-feira, 27 Dezembro , 2007, 21:24

 

A passagem de 2007 para 2008 vai ser festejada em Casal de S. João. Com início ás 21 horas, a festa terá lugar no Salão da Associação de Moradores e não dispensará ingredientes de monta para ser de arromba: muita comida, muita bebida e, claro, musica e da boa, para animar o pessoal. Ah! Ainda há a referir que o velho e tradicional cepo vai arde a noite toda.
As inscrições têm prazo até ao dia 29 e o preço por pessoa é bem convidativo: 7.50 €, Quanto às crianças, com menos de 10 anos, a entrada é gratuita.
Venham e divirtam-se.
 
 
 
 
António Tavares

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 26 Dezembro , 2007, 22:21

A Obscuridade
 
Esperamos na obscuridade.
Vinde, vós que escutais, vinde
saudar-nos na viagem nocturna:
nenhum sol agora brilha,
nem luz agora nenhuma estrela.
Vinde, ó vós, mostrar-nos o caminho:
Que a noite secreta é inimiga,
a noite que fecha as próprias pálpebras.
E eis como a noite inteiramente nos esqueceu.
E esperamos, esperamos, na obscuridade.
 
 
Herberto Hélder
 
 
 
 
 
Foto: Jorge Costa
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 26 Dezembro , 2007, 17:54
Escrito por:
José Oliveira Alves
 
 
 
 
 
 
Era uma vez uma menina que cedo perdeu pai e mãe.
Foi criada com os avós.
Um dia, num baile, apareceu o seu príncipe. E bastou uma vez para que não mais se esquecessem um do outro.
Como a menina era ainda nova, os avós trataram de a proteger; mas o amor falou mais alto.
Casaram há mais de 60 anos ...
Tiveram quatro filhas.
Abandonaram a terra pobre onde viviam para poder educar as suas filhas e dar-lhes tudo o que pudessem.
A todas deram um curso superior.
Quando chegou a sua vez e por ordem de idade, as filhas foram casando e tiveram filhos - oito ao todo.
Vamos lá contar: casal patriarca(2)+4casais (8)+8netos = 18.
Porém, porque Deus chamou a si inesperadamente e contra a lógica da vida um dos genros, a Família sofreu um rude golpe, empobreceu e ficou reduzida a 17 pessoas.
Todavia, também os netos cresceram e quatro já casaram dos quais três já tiveram filhos (4 para já).
Vamos lá refazer as contas: 17+4 (maridos das netas)+4(bisnetos) = 25.
Os filhos são uma riqueza. Esta Família quer ser rica.
Assim é que se aguardam dois nascimentos, o da Inês e o da Mafalda, a Inês está mesmo a chegar e a Mafalda virá sábado da Aleluia para ainda provar as amêndoas.
O Casal Patriarca sentará, assim, à sua mesa 27 pessoas, mas há sempre lugar para mais um... ou uma ...
Apesar de cansados, sobre tudo pelo barulho e alguma confusão, ficam muito felizes, em particular, pelo Natal.
O Patriarca escolhe sempre e corta o pinheiro ajudado pelos netos e, agora, também pelos bisnetos e vive intensamente esta quadra.
O Pedro faz o Presépio e a árvore é enfeitada com os palpites e sugestões de todos, o musgo é apanhado pelos mais pequenos.
Invariavelmente, olhando a lareira com sonhos de menino não sonhados ou o comprimento da mesa, o Joaquim, do alto dos seus 87 anos, costuma dizer: "Ó Gena, lembras-te, éramos só nós os dois, olha agora !!!!"

comentários recentes
Parabéns à Flor do Alva pelo centenário que acaba ...
Visão esclarecida e preocupada de um preclaro cida...
parabéns Dª Lucília silva tudo de bom
também para si um bom ano novo senhor Nuno Espinal...
Obrigado, um bom ano também para si, Um grande abr...
Partilho, caro Espinal. Um bom ano, amigo
Na minha aldeia - Torroselo -, o leilão de oferend...
Parabéns! Bjs
os meus sentimentos a família
É COM SINCERA TRISTEZA E DESOLAÇÃO QUE VEJO, TAMBÉ...
Dezembro 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15


25



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds