publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 09 Novembro , 2007, 23:02

Quando um dia, na sala dos serviços administrativos da Santa Casa, estava ocupado com uma qualquer tarefa, alguém irrompeu de repente e interpelando-me de modo determinado e vigoroso, quase vociferou:
-“O Sr. é que é o Provedor? Estou aqui para reclamar. O comer que me levam a casa não chega. Exijo mais.”
Confesso que fiquei um tanto atordoado, já que o interpelador me surpreendeu, não só pela sua intempestividade, como, apesar da idade, pela energia e vozeirão.
Refeito do impacto inicial, lá consegui saber da identidade. Tratava-se de um utente do apoio domiciliário, de Vinhó.
 “Albertino Antunes, não me conhece? Tenho 84 anos”.
Normalizado o meu estado emocional, lá foi possível algum diálogo.
-“Oh Sr. Albertino, confesso que não percebo. Toda a gente elogia o comer do Centro de Dia e nunca ninguém se queixou da quantidade…”
-“Mas, eu por mim também não me queixo. Para mim até chega…o problema é o meu cão…não quero que passe fome.”
Foi, para mim, e para quem não seria, o segundo atordoamento do dia e logo de rajada.
-Comida para o cão Sr. Albertino? Do Centro de Dia?
-Claro, o Farroscas é a minha companhia…
 
Confesso que um rápido clique me fez entender o Sr. Albertino. Só que o coração terá solidariedades que o Estado não pode ter.
 
Hoje o Sr. Albertino fez 85 anos de idade. Muitos Parabéns, amigo, conte muitos mais…e, já agora, o Farroscas também.
 
 
 
 
 
Texto: Nuno Espinal  
Fotos: Carla Marques
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 09 Novembro , 2007, 16:02

Cerca das 15 horas, deu entrada nos HUC a Srª Dª Fernanda da Silva Caetano, vítima, ao que fomos informados, de um AVC.

A Srª Dª Fernanda Caetano tem 86 anos de idade, é utente do Centro de Dia e mãe do Sr. Fernando Caetano, residente em Coimbra.

Desejamos rápido restabelecimento.


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 09 Novembro , 2007, 14:37

“Em Diário das Beiras”
 
 
 
 
Feira Franca em expansão anima S. Martinho da Cortiça
 
S. Martinho da Cortiça anima-se este fim-de-semana com a Feira Franca. Com quatro dezenas de expositores de artesanato, diversas actividades paralelas e muita animação, a feira é um motivo para visitar a freguesia.
Em S. Martinho da Cortiça, concelho de Arganil, decorre este fim-de-semana a 21.ª edição da Feira Franca, que tem como principal objectivo promover a freguesia e a região.
O certame conta este ano com 40 expositores, de vários pontos do país, na Exposição de Artesanato, que se realiza no Pavilhão Gimnodesportivo, para além do habitual concurso de gado bovino, a animação musical e a “Tasquinha”, com pratos regionais.
De acordo com o presidente da Junta de Freguesia, Rui Franco, no ano passado estiveram presentes na feira 22 expositores, o que revela “um aumento quase para o dobro”. Por outro lado, no exterior do edifício decorre a feira tradicional e a maior exposição de máquinas agrícolas do concelho, havendo ainda muitas actividades de animação.
Rui Franco explicou que a Feira Franca começou a ser organizada pela junta de freguesia há 21 anos, altura em que ainda era presidente Eduardo Correia. “A pretensão é fazer com que as pessoas se desloquem a S. Martinho e conheçam as suas enormes potencialidades ao nível da indústria, artesanato e turismo”, afirmou, sublinhando que a feira tem vindo a crescer e “já está enraizada nos hábitos e costumes da região”.
De resto, este ano ficam “em lista de espera” oito ou nove expositores por falta de espaço, pelo que a organização está a ponderar a possibilidade de no próximo ano alugar uma tenda gigante, deixando o pavilhão para o artesanato e a gastronomia.

Vários sectores representados

Os expositores presentes representam vários sectores, desde “a olaria, cestaria, trabalhos em madeira, bijuteria, decoração e pintura”. Grande parte dos expositores são da freguesia de S. Martinho da Cortiça, S. Pedro de Alva, Pombeiro da Beira e restantes freguesias de Arganil, mas também vêm de zonas mais distantes, nomeadamente Cascais, Vila Nova de Gaia, Serpins, Tentúgal, Castelo Branco, entre outras.
O certame é organizado pela junta, contando com o apoio da Câmara de Arganil, sobretudo ao nível logístico, bem como de funcionários da freguesia e dos próprios habitantes.
Este ano “o programa é bastante diversificado”, destacou Rui Franco, enumerando a realização da feira tradicional, as diversões, o jogo de futebol do campeonato distrital do INATEL, entre S. Martinho da Cortiça e a equipa de Candosa, a animação musical e a gastronomia. No sábado de manhã decorre o concurso de gado bovino e os prémios servem de incentivo para manter esta tradição da Beira Serra entre os criadores de gado, referiu Rui Franco.
Tendo em conta a diversidade da feira, onde há lugar para o desporto, a cultura, as diversões, o artesanato e a gastronomia, o presidente da junta espera a presença de “milhares de pessoas” no certame ao longo do fim-de-semana.
 
 
Lurdes Gonçalves


publicado por Miradouro de Vila Cova | Sexta-feira, 09 Novembro , 2007, 00:06
O ameno sol deste já maduro Outono, que se teima em roupagens de Primavera, proporcionou este conjunto de fotografias, tiradas no terreiro da Santa Casa. Mas, para além da amenidade do dia, houve uma outra razão que chamou, hoje quinta feira, ao terreiro todos estes nossos amigos. Um magusto, que lhes foi exclusivamente dedicado.” Quentes e Boas” – houve quem dissesse. Mas mais do que castanhas assadas houve confraternização. Até porque, aproveitando-se a ocasião, cantaram-se os “parabéns” ao Sr. António Santos (Toneca), dirigente da Santa Casa, já que hoje foi dia do seu aniversário.
E a tarde lá se passou. Afinal, a  pretexto das castanhas uma tarde bem passada, poderia ser um dos títulos deste breve apontamento. E de facto foi bem passada. E para que o prazer se contagie a outros, (familiares e amigos especialmente) aqui deixamos este naipe de fotos com uma intenção: deliciem-se… 
 
 
 
 
 
Nuno Espinal/Carla Marques
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 07 Novembro , 2007, 23:55

 

A Flor do Alva não pára. Mesmo em período de “defeso” (passe a expressão) a sua Direcção mantém o frenesim que lhe é tão peculiar. E daí que, em consonância com o actual período que ressalta do calendário, esteja a organizar um “mega magusto”, em consagração à saborosa castanha da época e à boa água pé, ingredientes de um casamento tão ao gosto popular. E, claro, a jeropiga lá estará a apadrinhar o enlace.
O Presidente da Filarmónica, José Raimundo, com aquele estilo tão activo que o caracteriza, empenha-se nos “necessários planeamentos” para que tudo corra com aprazimento e sem falhas. E pede ao Miradouro que faça eco deste seu desejo: Venham todos ao magusto, população de Vila Cova e utentes da Santa Casa incluídos. Estão todos convidados.
E logo aproveita a oportunidade: Um obrigado à Direcção da Santa Casa por nos ter cedido o terreiro. Nunca se recusa a colaborar e esta habitual atitude solidária só beneficia Vila Cova e os Vilacovenses.  Bem haja - acrescenta.
Quanto ao programa das festas, a Filarmónica, como não podia deixar de ser, irá dar um ar da sua graça. Vai tocar uns clássicos, enquanto as castanhas vão crepitando nas brasas - diz-nos ainda o Sr. Raimundo.
Pois bem! Somos nós agora, os do Miradouro, que lhe queremos dizer o seguinte: Um obrigado a si, aos da Direcção, ao Maestro e a todos os Músicos, por tudo o que têm feito. E, já agora, só uma pequena sugestão. Nestas alturas talvez não fosse má ideia fazer ressuscitar o velho “concerto”. Os mais velhos iriam gostar. E quanto aos mais novos, quem sabe?
 
 
 
 
 
 
Nuno Espinal/Carla Marques

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 07 Novembro , 2007, 07:44
“No Diário de Coimbra”
Seis veículos alegadamente utilizados pelo “gang do alcatrão” foram apreendidos segunda-feira à tarde na área de Coimbra pela GNR

A GNR anunciou ontem a apreensão, na área de Coimbra, de seis viaturas alegadamente pertencentes ao “gang do alcatrão”, composto por indivíduos que extorquiam dinheiro por alegados trabalhos de asfaltagem.
As apreensões ocorreram segunda-feira à tarde e as viaturas têm matrículas estrangeiras. A GNR disse estar a investigar a proveniência das viaturas, adiantando, contudo, que poderão não ter sido furtadas. Entre os veículos apreendidos pelos elementos do Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento de Coimbra da GNR contam-se um jipe “Mitsubishi Pajero”, um automóvel “Renault Laguna”, um reboque de dois rodados alegadamente utilizado no transporte de máquinas, uma retroescavadora, uma carrinha “Ford Transit” e um camião equipado com carroçaria para o transporte de alcatrão.
Como já havíamos noticiado anteriormente, o Tribunal de Coimbra decretou este fim-de-semana a prisão preventiva de três indivíduos, com 16, 17 e 47 anos, dois de nacionalidade irlandesa e um inglesa, muito provavelmente pertencentes a este grupo. A detenção dos indivíduos aconteceu no âmbito de uma operação conjunta da Polícia Judiciária e da GNR que, nos últimos tempos, andariam a investigar um grupo de indivíduos, alegadamente liderado por um cidadão de nacionalidade irlandesa, que andaria a ameaçar pessoas um pouco por todo o distrito de Coimbra para pagarem quantias avultadas em dinheiro por trabalhos de alcatroamento que não contratualizaram. Terão havido movimentações idênticas na zona do Alentejo.
Um fonte policial explicou à Lusa que os dois indivíduos mais novos apareciam perante os proprietários, previamente por eles identificados, propondo-se executar a asfaltagem, alegando ter sobras de materiais de obras e criando a expectativa de que os trabalhos ficavam baratos ou que eram gratuitos.
Posteriormente, aparecia o líder do grupo que «pedia quantidades avultadas de dinheiro pelo serviço, na maioria das vezes ameaçando-os e intimidando-os com armas» se recusavam satisfazer a exigência.
Foram três das vítimas deste grupo que, no passado sábado, identificaram os indivíduos que agora se encontram detidos a aguardar julgamento no Estabelecimento Pri-sional de Coimbra.
Uma fonte policial adiantou que prosseguem as investigações por suspeitas de envolvimento de outros elementos nesta actividade criminosa.  
 
 
José João Ribeiro

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 07 Novembro , 2007, 00:03

 

Estamos em época de castanhas, o que equivale a dizer que estamos em plena época de magustos. E magustos é o que não vai faltar aos nossos amigos mais velhos do Centro de Dia. Para começar, Sábado passado já se deslocaram aos Cepos, uma localidade bem na Serra do Açor, de vistas deslumbrantes e gente hospitaleira. O Centro Social local organizou um magusto à maneira, que meteu música, bem portuguesa, tocada pela Escola de Concertinas da Lousã. E foi num ambiente animado, de grande confraternização, com gente de outros centros sociais do concelho, que a nossos cantaram, dançaram e até a bela castanha assada acompanharam com um saboroso cálice de jeropiga. E não faltaria a broa e o caldo verde a deixar saciados os apetites de uma tarde que pela folgança foi inesquecível.
 
Mas a Festa da Castanha vai prosseguir. Quinta-Feira no Centro de Dia e dia 18, organizado pela Flor do Alva, um mega magusto no Terreiro da Santa Casa.
E Viva a Castanha.
 
 
 
 
Carla Marques   
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 05 Novembro , 2007, 22:55
2ª Jornada do Campeonato Distrital do Inatel
Época 2007/2008 - Série B
Ainda que a vitória do Vilacovense não deixe de ser merecida, já que foi a equipa que mais correu atrás de um resultado favorável, a verdade é que o Seixo da Beira poderia e merecia ter marcado. Duas bolas na trave e uma no poste da baliza de Paulo Henriques dizem da tarde de algum azar da equipa visitante.
Mas, relevando a velha frase de que contra factos não há argumentos, o facto é que o Vilacovense marcou dois golos, o primeiro por Bruno Carvalho, aos 78 minutos, na conversão de uma grande penalidade, por mão intencional na área de um jogador de Seixo e o segundo aos 88 minutos, na sequência de uma grande jogada pela direita de Marco Gonçalves  que correu desde o seu meio campo, fintou dois adversários e à entrada da pequena área desferiu um remate cruzado, sem hipótese para o guarda redes adversário.
 
Um jogo agradável de seguir, bem disputado, presenciado por muitos adeptos, maioritariamente vilacovenses, que puderam assistir à primeira vitória da sua equipa na presente época.

Constituição da equipa:

Guarda redes: Paulo Henriques;
Defesas: Kikas, Fernando Ribeiro, Bruno Brito e Fábio Leitão;
Médios: António Cruz, Hugo Ferreira, Carlos Gomes(capitão) e Bruno Carvalho;
Avançados: David Coelho e Marco Gonçalves.
 
Substituições verificadas:
 
Aos 75 minutos do atacante David Coelho pelo médio Sérgio Gaspar com o intuito de "refrescar" o meio campo;
Aos 80 minutos do médio Carlos Gomes pelo jogador Clever para jogar como trinco e passando António Cruz para a frente do ataque;
Aos 90 minutos do médio Hugo Ferreira pelo médio Fernando a fim de segurar o resultado.

Suplente não utilizados: Bruno Santos.
 
Treinador: Zé Manuel.
Massagista: Fernando Figueiredo.
Directores presentes: Carlos Antunes, Luís Manuel e Tó Garcia.

Acção disciplinar: Cartões amarelos a Bruno Carvalho, António Cruz, Fábio Leitão e Paulo Henrique.
Arbitragem não isenta de erros.     
 
Próximo jogo, relativo à 3ª jornada: Vilela – Vilacovense, pelas 15 horas, no próximo dia 11.
 
 
 
 
 
 
Nuno Espinal/Marisa Antunes
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 05 Novembro , 2007, 22:44

 

Notícia: Hugo Lopes


publicado por Miradouro de Vila Cova | Segunda-feira, 05 Novembro , 2007, 09:17
Entrega-se, sem tabus, ao cumprimento, à saudação, ao abraço amigo.
Gosta de estar com amigos, de sentir gente.
E porque gosta de se partilhar, explode nas recordações, em lembranças de saudosos tempos da sua Vila Cova de outrora.
E é este o seu habitual gesto que expressa amiúde no Fórum, “No Tílias À Conversa”.
Que é feito de fulano? E daquele que…? Pergunta-me continuadamente.
Eh pá, põe lá fotografias da malta no Miradouro. Alguns já não vejo há tantos anos...
 
 
É o Quim Espinal.
 
Ontem, de Vila Cova para Lisboa, fiz um desvio por Santarém e dei-lhe o habitual abraço de irmão. Era dia de aniversário, aniversário de um dos meus sobrinhos, de um dos seus netos. Festa claro, Família reunida e o Quim sempre com aquela sua alegria, a sua bem epidérmica bonomia. 
 
Uma fotografia para o Miradouro, claro, porque não? - comenta com um largo sorriso.  Lá se junta o pessoal e o flash dispara. Um abraço especial para Vila Cova. Meu e de todo o clã Quim Espinal – acrescenta.
 
 
 
 
 
Nuno Espinal   
Na foto, relativamente ao Quim Espinal:
No 1º Plano: Joana (nora), Zé (genro), Patrícia, Rafael e Daniel (netos);
Logo atrás: Suzete (cunhada) e Jo (esposa);
No último plano: Nuno Eduardo, Carla e Vera (filhos), Nuno Alberto (irmão) e Jorge Augusto Figueiredo Dias (primo – filho da Julinha, recordam-se?).
 

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Novembro 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
13
16

23

30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds