publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 31 Outubro , 2007, 22:52
  No Diário de Coimbra
 
“Gang do alcatrão” aterroriza no distrito
GNR está investigar um grupo, alegadamente liderado por um cidadão irlandês, que andará a ameaçar pessoas para que paguem quantias avultadas em dinheiro por um trabalho de alcatroamento que não contratualizaram

Um grupo de indivíduos, supostamente liderado por um cidadão de nacionalidade irlandesa, andará nos últimos tempos a aterrorizar várias pessoas um pouco por todo o distrito de Coimbra, ameaçando-as de morte e chegando mesmo a agredi-las violentamente se estas não lhes pagarem a quantia exigida.
O “modus operandi” é quase sempre o mesmo. Sem contacto prévio e, na maior parte das vezes, aproveitando a ausência dos proprietários, invadem literalmente habitações, e, sem qualquer autorização, iniciam um trabalho de alcatroamento das entradas ou dos acessos às casas, sob pretexto de lhe ter sobrado alcatrão de uma obra ou de uma estrada.
As pessoas chegam a casa, vêem o trabalho a ser realizado e, apesar das várias tentativas, não conseguem impedi-los de continuar com a “obra”, uma vez que os funcionários parecem estar proibidos de falar com os proprietários e a única pessoa que o faz é o tal suposto cidadão irlandês que, por ser estrangeiro, alegará dificuldades em entender a língua portuguesa para não se alargar na conversa.
Na maior parte das vezes, o líder do grupo dá ordens para o trabalho se realizar, sem dar quaisquer satisfações aos donos das respectivas habitações. Apenas no final da “obra” realizada, o líder do grupo pede quantias avultadas em dinheiro pelo serviço, ameaçando as vítimas de morte, intimidando-as com armas, se as pessoas não pagarem a quantia exigida.
A actuação destes indivíduos foi detectada, segundo o que o Diário de Coimbra conseguiu apurar, em diversos concelhos do distrito de Coimbra, sendo já várias as pessoas, ao longo dos últimos meses, a serem “burladas” e ameaçadas por este grupo de que se desconhece, para já, a proveniência.
Contactadas as autoridades, fonte da GNR confirmou a existência de, pelo menos, um caso no distrito de Coimbra que está neste momento a ser investigado. Haverá outro, com contornos idênticos, mas ainda não está provado de que se tratarão dos mesmos indivíduos, continuou a mesma fonte.
Seja como for, com o mesmo “modus operandi”, já terão sido detectados outros casos pela GNR, nomeadamente, na zona do Alentejo. A mesma fonte, que admitiu poderem existir outros casos no distrito sem que tivesse havido qualquer queixa às autoridades, confirmou que a GNR se mantém atenta às movimentações do grupo em causa e que os casos estão a ser acompanhados e investigados.  

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 31 Outubro , 2007, 01:00

 

Uma das fotos que mais impacto provocou nos leitores do Miradouro, publicada em 10 de Janeiro, refere-se à antiga Capela de S. Sebastião, que esteve localizada no espaço do recreio da escola. Aos poucos tem-se perdido o hábito, mas ainda recentemente havia quem chamasse àquele espaço Largo da Capela. Sobre a razão da demolição da capela e respondendo à pergunta de um leitor, conseguimos recolher alguns elementos que passamos a transcrever:
 
“Por decreto de 20 de Maio de 1928, com o nº 15.528, foi autorizada a venda da então Capela de S. Sebastião, a fim de ser demolida e no mesmo local ser construído um Posto de Socorros.
Contudo, o referido Posto de Socorros acabaria por ser construído em terreno doado pelo Conselheiro Dr. Albino de Figueiredo, na zona do Chafariz de S. Sebastião, tendo ocorrido a sua conclusão em 19 de Maio de 1936 e entregue a sua administração à Santa Casa da Misericórdia..
Pesou como argumento preponderante para esta mudança de local o facto óbvio de não ter muito sentido e ser até pouco aconselhável que o Posto de Socorros ficasse situado em pleno espaço atribuído ao recreio de crianças.
Hoje o edifício do Posto de Socorros já não tem aquela função, continuando na posse da Santa Casa, contudo, de momento sem utilização.
Entretanto, nunca esmoreceu a crença e fé de vilacovenses por S. Sebastião, que de resto é testada a anos muito recuados. Com efeito, já em 1598, por bula de 1598 do Papa Clemente VIII, foi instituída em Vila Cova a Irmandade de S. Sebastião, à qual foram concedidas “muitas graças e privilégios”.
E foi em resultado da continuidade desta crença e veneração que um grupo de moradores do Bairro com o nome do próprio Santo, tomou a iniciativa de construir uma nova Capela, a Capela de S. Sebastião, ainda que de diminuta dimensão e em local de difícil e íngreme acesso.
A actual Capela de S. Sebastião, localizada na chamada  subida para  Espinhal, está sem qualquer manifestação religiosa há já bastante tempo e na prática votada ao abandono”
 
 
 
Nuno Espinal  

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 31 Outubro , 2007, 00:49

 

No próximo Domingo, 04 de Novembro, Casal de S. João vai ter uma tarde diferente, a partir das 14 horas. O motivo principal vai ser um magusto, mas outras atracções não faltarão, como o jogo da malha (chinquilho) e o jogo das cartas. Claro, a festa está aberta a toda a comunidade de Casal de S. João, mas todos os amigos, sejam eles de onde forem, que quiseram conviver nesta animada tarde serão bem recebidos, de resto, à boa maneira das gentes desta aldeia. Ah! Só um pormenor a reter. Só são pagas as bebidas, as castanhas são oferta da Comissão de Festas.
Este evento terá lugar no Largo 1.º de Maio (largo das festas de Verão).
 
 
 
 
António Tavares
 

publicado por Miradouro de Vila Cova | Quarta-feira, 31 Outubro , 2007, 00:18

 

 

No passado Sábado dia 27, realizou-se na Igreja Matriz de Vila Cova de Alva o baptizado do Dinis Alexandre, filho de Teresa Maria Dias Pinto Santos e Nuno Alexandre Santos Martins, (proprietários da pastelaria PÉROLA DE COJA). Foam padrinhos foram Ana Cristina Santos Moura e Nuno Filipe Pereira dos Santos.
O Dinis Alexandre tem um irmão que é o Henrique Alexandre e  é neto de Maria Olinda Dias Tavares Pinto e Armindo da Silva Pinto desta localidade.
Dirigiu os ofícios religiosos o Sr. Padre Cintra.
Parabéns  ao Dinis e a toda a família.
 
 
 
 
 
Notícia: António Tavares

comentários recentes
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
PARABÉNS à nossa FILARMÓNICA!
O post anterior é assinado por mim Nuno Espinal
Não estive presente no jogo e nunca afirmo o que n...
Outubro 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9


27



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds