publicado por Miradouro de Vila Cova | Domingo, 23 Setembro , 2007, 23:52

 

De facto, foi um tanto à moda antiga. Ainda que com as diferenças quase imprescindíveis que a distância entre tempos dita. Principal diferença? Claro, um 23 de Setembro a fingir de 8 de Setembro. Mas, no essencial, a tradição a manter-se, a genuinidade traçada no singelo dos sucedimentos.  
 
De manhã cumpriu-se o cerimonial religioso. Missa e evocação à Srª da Natividade. “Natividade é Vida, diria o Padre Cintra. “E Vida é confraternização religiosa. Mas, também é confraternização festiva”.
 
Depois a procissão: O Pendão (seja bem-vindo Sr. Orlando!), o andor da Senhora do Encontro, o palio, a resguardar o Santíssimo Sacramento, a Flor do Alva, a cadenciar os passos e por fim, formado em duas filas, o Povo.
 
À tarde a Festa: quermesse, comes e bebes, leilão (bom esforço Sr. Rogério), jogos tradicionais (um espectáculo o jogo do prego), o Rancho de Vale de Milhazes e a terminar a magnífica e cada vez melhor Flor do Alva (o meu aplauso Prof. Rui Quaresma).
 
Gostei, julgo que gostámos todos, foi um dia bonito…
 
 
 
 
 
Nuno Espinal

 

 


comentários recentes
Muito bem! Gostei. Contudo falta referir muitos pe...
O meu profundo sentir á minha querida amida Sra D....
os azulejos lhe davam valor e beleza. muito perdeu
Pode publicar. Achamos importante que o faça. Obri...
É uma informação muito importante.Espero que não s...
O texto relaciona.se, de facto, com minha tia e ma...
Sim, de facto Maria Espiñal, minha tia, era escrit...
Minha Mãe sempre me disse que a madrinha dela era ...
Uma foto lindíssima.
Olá :)Estão as duas muito bonitas.Ainda bem que a ...
Setembro 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9

19

24



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds